Menu

Bancos aprimoram eficiência operacional de canais

Bancos aprimoram eficiência operacional de canais

Redes de agências, ATMs e correspondentes bancários são revistas e consolidadas

 

Entre 2010 e 2014, a rede de agências e postos de atendimento bancário tem se expandido a uma média de 4% ao ano e passou de 64 mil a 74 mil no período. Contudo, a 23ª edição da Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2014 constata que o crescimento foi de 2% do ano passado. Desde 2012 também se verifica um decréscimo do volume de transações, de 180 mil por unidade há três anos para 153 mil no ano passado.

“As agências, de fato, ganham um novo papel no atual cenário e passam a ser mais consultivas. Muitos clientes procuram seus gerentes para saber mais sobre novas oportunidades de investimento e serviços que podem ser contratados, com base em seus perfis”, avalia Gustavo Fosse, diretor setorial de Tecnologia Bancária da Febraban.

Apesar de ter reduzido a expansão da capilaridade física, os bancos ainda precisam investir em abrangência. Nas regiões Norte e Nordeste, os pontos de presença aumentaram 5%. Com a atual estrutura, o Brasil conta com 28 agências por 100 mil habitantes adultos, índice ligeiramente superior ao do Reino Unido (27).

A partir de 2013, o número de correspondentes bancários começa a se reduzir em todas as regiões do país, uma reversão da tendência nos últimos anos, de crescimento anual entre 15% e 25%. “Em 2012, os bancos começaram a ajustar as parcerias com os correspondentes bancários, para equilibrar a eficiência operacional”, observa Fosse. “Muitos clientes (desses canais) passaram também a usar Internet e mobile. Há uma migração natural, como ocorreu com as agências no passado”, compara.

Menos ATMs, trabalhando mais – Pela série da pesquisa da Febraban, em 2010 havia 161 mil ATMs e, com crescimento anual de 1%, a base chegou a 166 mil em 2013. O ano passado, no entanto, fechou com 159 mil ATMs em operação, um recuo de 4% em relação ao ano anterior. Em contrapartida, o volume de transações por unidade de autoatendimento aumentou de 57 mil para 61 mil, 8% a mais. O total de transações pelo canal aumentou 4%, de 9,4 bilhões em 2013 a 9,7 bilhões no ano passado. A quantidade de ATMs por 100 mil habitantes adultos é de 249.

O diretor da Febraban destaca que a própria evolução tecnológica induz à consolidação do parque de ATMs. “Os terminais hoje têm mais funcionalidades e serviços. Então, na hora da atualização, unidades que só faziam determinadas operações são substituídas por ATMs full”, constata. Outro fator são os modelos multibanco, seja por provedores, como a TecBan, ou por acordos de compartilhamento. Há ainda o crescimento dos canais virtuais, que reduz a demanda por consultas e quitação de contas nos ATMs, assim como o maior uso de meios digitais de pagamento, que atenua a necessidade de saques.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes