Menu

Análise completa do ROI antes da migração para nuvem traz melhores resultados

Análise completa do ROI antes da migração para nuvem traz melhores resultados

Segundo pesquisa da Unisys, 82% das organizações que adotam este procedimento alcançam a economia de custos esperada

As organizações que realizaram uma análise completa do retorno sobre o investimento (ROI) antes de embarcarem em suas migrações para a nuvem foram 44% mais bem-sucedidas na realização de suas expectativas de economia de custos do que as que não o fizeram, de acordo com uma pesquisa global da Unisys Corporation (NYSE: UIS).

80% dos entrevistados na pesquisa - conduzida entre 400 executivos de TI e negócios em oito países - dizem que esperavam economias de custos ao adotar a nuvem como um canal para acessar recursos de TI e negócios. 59% dos entrevistados dizem que realizaram uma análise formal de ROI antes iniciarem suas migrações para nuvem.

82% dos entrevistados cujas organizações realizaram previamente análises formais de ROI dizem que alcançaram a economia de custos esperada. Em comparação, apenas 57% dos que migraram sem o benefício de uma análise ROI atingiram suas expectativas de economia de custos - uma diferença de 44%.

Na América Latina, quase metade (47%) das empresas ainda não fez uma análise de ROI necessária para a migração de suas aplicações para a nuvem pública. "Na interação com as empresas, percebemos que um possível motivo é devido à complexidade desta tarefa e falta de expertise dentro das empresas para fazê-lo", comenta Fábio Abatepaulo, diretor de Serviços de Consultoria da Unisys para América Latina.

"Apesar de a liderança do mercado de nuvem pública estar concentrada em poucos players, a quantidade de serviços e opções dentro desses serviços é muito grande, tornando a tarefa de desenhar um ambiente em nuvem e estimar os custos bastante complexa. Empresas que apenas espelham a arquitetura tradicional que possuem para a nuvem pública não utilizam os benefícios trazidos e não atingem os retornos financeiros esperados", conclui Abatepaulo. O estudo aponta que 68% das empresas latino-americanas planejam migrar suas aplicações para a nuvem nos próximos 12 a 24 meses.

A pesquisa também demonstra que o envolvimento de um terceiro especialista para auxiliar na transformação da nuvem aumenta a probabilidade de atingir os objetivos desejados. 68% por cento dos entrevistados dizem que contaram com terceiros para migração ou gerenciamento de nuvem. Desses, 72% usaram a ajuda do parceiro para definir a estratégia e o planejamento da nuvem, e 79% do grupo dizem que a parceria com um especialista externo permitiu que a organização conseguisse economias de custos esperadas.

"Nossa pesquisa mostra claramente que, na transformação da nuvem, o velho ditado é verdadeiro: falhar no planejamento é como o planejar para falhar", disse Paul Gleeson, Vice-Presidente de Cloud e Serviços de Infraestrutura da Unisys. "A migração oferece uma infinidade de opções na nuvem - combinações privadas, públicas, híbridas, comunitárias e outras. No entanto, essas escolhas podem criar complexidades imprevistas que podem facilmente faze descarrilar as expectativas. As organizações que planejam a migração da nuvem com cuidado, aproveitando a experiência dos parceiros estabelecidos, o que é o mais estratégico, são os melhores posicionados para atingir sucesso operacional, financeiro e competitivo da transformação na nuvem", conclui Gleeson.

Os entrevistados indicam que suas organizações estão migrando rapidamente dos centros de dados locais tradicionais para vários tipos de nuvens e projetam como eles esperam que cada tipo de recurso da equipe no trabalho de computação evolua nos próximos dois anos. Eles indicam que o uso de data centers locais irá diminuir dos 43% atuais para 29% em 2019, enquanto o uso de nuvem privada aumentará de 20% para 28% em dois anos.

Durante o mesmo período, o uso da nuvem pública aumentará de 18% para 21%, a nuvem híbrida de 11% para 13% e o uso de community cloud (uma nuvem privada compartilhada por múltiplas organizações com uma missão comum) permanecerá estável em 9%.

Consenso sobre os benefícios

Os entrevistados mostram um consenso generalizado sobre os benefícios que as empresas esperam da nuvem. Pelo menos 94% citam melhora em disaster recovery e business continuity, agilidade e flexibilidade, armazenamento mais eficiente, custos de capital reduzidos e padronização de TI como benefícios importantes. Melhorar a agilidade - a capacidade de implantar os recursos de TI de forma ágil em resposta a condições de negócios em constante transformação, a fim de ganhar vantagem competitiva - é o principal fator em geral, com 78% dos entrevistados dizendo que ele é crítico ou muito importante.

Na América Latina, a padronização do ambiente de TI está entre os três principais motivadores para adoção de nuvem pública pelas empresas. "Acreditamos que este resultado esteja relacionado a parques tecnológicos mais antigos e compostos por diferentes soluções que foram motivados por restrições financeiras. Está relacionado também ao benefício do modelo de cloud pública em substituir altos investimentos em capital (CAPEX) necessários a uma infraestrutura defasada por custos operacionais pagos conforme a utilização (OPEX)", afirma Fábio Abatepaulo.

Embora os entrevistados ressaltem os benefícios alcançados com a migração para nuvem, eles também são diretos ao reconhecer seus desafios. Muitos relataram encontrar bloqueios inesperados, 60% disseram que esses impedimentos diminuíram suas migrações e 17% afirmaram que os obstáculos levaram suas migrações a uma paralisação.

Além disso, 42% dos entrevistados mencionam preocupações sobre a segurança (abrangendo gerenciamento de identidade e acesso a microssegmentação de dados) e conformidade como causas mais comuns responsáveis pela desaceleração da migração em nuvem. Talvez não coincidentemente, 42% dos respondentes de uma pesquisa de 2016 da Unisys citaram a segurança como seu maior desafio no gerenciamento de nuvem.

Com base em uma vasta experiência nas transformações da nuvem e na gestão de algumas das maiores infraestruturas de TI do mundo, o processo Fast Track Assessment da Unisys ajuda os clientes a iniciar e acelerar projetos de migração. Em um envolvimento de quatro a seis semanas, uma equipe de consultores experientes da Unisys executa um processo em quatro fases: descoberta de questões de TI e de negócios que a nuvem pode ajudar a melhorar; análise de lacunas do ambiente atual; desenvolvimento de estratégia, business case, análise de ROI e planejamento arquitetônico para a migração; e plano de execução com roteiro e cronograma alinhados às necessidades do negócio.

Uma avaliação recente do ROI da Unisys mostrou com precisão que um cliente poderia economizar 20% nos custos de TI movendo as operações de uma nuvem privada para uma rede pública, assegurada pelo premiado software de segurança Unisys Stealth®.Ao alavancar os recursos internos existentes e grupos de expertise, juntamente com a experiência da Unisys em cloud e segurança, os clientes podem controlar os custos de implementação e migrar para um ambiente de nuvem seguro e avançar nos negócios.

Clique aqui para acessar o website com mais detalhes sobre os resultados da pesquisa - incluindo um relatório para download e infografia - e aqui para obter mais informações sobre os serviços de transformação e infraestrutura da Unisys.

Sobre a pesquisa

A IDG Research pesquisou 400 executivos empresariais e executivos de empresas em cargos no nível de diretor ou acima em nome da Unisys em abril e maio de 2017. Os executivos trabalham em organizações, gerenciando equipes de 1.000 funcionários ou mais, e suas respostas estão divididas geograficamente da seguinte forma:

  • 100 entrevistados dos Estados Unidos;
  • 75 da Europa (25 do Reino Unido, 25 da Alemanha e 25 da França);
  • 100 da América Latina (50 do Brasil e 50 do México);
  • 125 na Ásia-Pacífico (50 da Austrália, 50 da China e 25 de Hong Kong).

Anexos Unisys_2017_State_of_Cloud_Transformation_PT.png

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes