Menu

Internet impulsiona programa que recalcula rotas de vida

Alana Trauczynski, escritora e consultora em Marketing Digital Alana Trauczynski, escritora e consultora em Marketing Digital

A consultora Alana Trauczynski estimula o autoconhecimento e desenvolvimento pessoal

Em apenas dois anos, Alana Trauczynski, escritora e consultora em Marketing Digital, já faturou seis dígitos. Foram mais de R$ 500 mil só no último lançamento de seu curso online. O motivo de seu sucesso é o conteúdo direcionado, aplicado sobre uma plataforma tecnológica que está ao alcance de todos, a Internet. Alana criou o programa online de autoconhecimento Recalculando a Rota quando percebeu que estava dedicando até cinco horas de seu dia a responder emails. 

Seu investimento tem sido baixo. Ela paga em média R$ 1,5 mil ao Facebook para divulgar seus anúncios na rede social e também está presente no YouTube e Instagram. O que empolga mesmo os seus seguidores é um programa que procura investigar onde estão os bloqueios de cada um. Essas barreiras podem estar na vida íntima e impactar a vida como um todo, incluindo a parte profissional. "Reescrevemos a memória, tirando a conotação negativa dela", explica. 

A própria Alana associava dinheiro à humilhação, pois, no passado, o pai ganhara dinheiro após uma cirurgia e o havia jogado para o alto. Ela e os irmãos tiveram que se abaixar para pegar as cédulas.  Em seu entendimento naquela época, se ela quisesse ganhar dinheiro, teria que se humilhar. Quando se deu conta disso, começou a reverter essa crença. Para o pai era uma brincadeira. "Tiramos a carga negativa da crença para que ela pare de ditar a vida de quem a possui", frisa. 

Até criar o Recalculando a Rota, Alana viajou mais de 13 anos e gastou R$ 100 mil em cursos nos Estados Unidos, Marrocos e Índia, entre outros países. Ela tem formação em coaching e passou de quatro a cinco anos fazendo cursos no exterior de autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e física quântica.

Graduada em Turismo e Hotelaria com Pós-graduação em Marketing em Relações Públicas nos EUA, a especialista afirma que vende a transformação e não o programa. O trabalho dos sonhos de Alana precisou ser criado: "Eu queria uma atividade sem chefe, sem horário e em que não precisasse trabalhar quando não estivesse me sentindo criativa." 

As rotas mais procuradas são a da prosperidade e dinheiro, liberdade emocional e co-criação. Alana cita estudos que dizem que a vida manifesta o que está no subconsciente, onde está 95% de nossa "bagagem".  "O subconsciente protege cada uma de suas próprias crenças. Se está no subconsciente que ter dinheiro é ser desonesto, não se ganha dinheiro. Inconscientemente nos protegemos do que está no subconsciente”, assinala a escritora.

O nível de satisfação com seus cursos chega a 85% segundo ela. Esse percentual é de quem envia vídeos com o feedback. As turmas online são anuais. Na primeira edição foram 170 alunos, e na segunda, 140.  

Cada aula tem 30 minutos. O aluno recebe uma meditação durante a semana toda e um caderno de exercícios de coaching. Há um grupo fechado no Facebook onde o participante recebe suporte e compartilha o que está acontecendo na sua vida. Alana responde a dúvidas por e-mail ou no grupo.

Era da colaboração

Não é só a Internet a impulsionadora do programa de Alana. Podemos levar em conta que estamos entrando na Era da Colaboração. Surfam nessa onda os aplicativos Uber e B&B que dispõem de uma agilidade que empresas tradicionais de transporte não conseguem oferecer. Por trás disso, está a tecnologia.

Com sua capacidade exponencial, os negócios da Internet crescem de modo distinto dos das empresas tradicionais, que operam linearmente. "Estamos vivendo uma mudança de era em termos profissionais, saindo de um capitalismo nervoso com controle e competição para a era do co-colaboração, compartilhamento, companheirismo e compaixão”, descreve a consultora.   

Para ela, as pessoas estão buscando um sentido maior para o trabalho – que não seja dar oito ou 10 horas do dia para algo que não faça sentido nenhum ou só para ganhar dinheiro. "O trabalho está sendo demandado como uma fonte de prazer, de realização na vida", atesta. Frutos dessa transição são os movimentos de nomadismo digital, espaços compartilhados e home-office. 

Quem entra no site www.recalculandoarota.com.br já tem uma amostra do trabalho de Alana. Ao chegar na página o visitante pode baixar e-books.  A escritora usa conhecimentos de landing pages para capturar emails e formar a sua base cadastral. O aluno começa a cursar e só paga se pretender continuar, podendo assistir às primeiras quatro aulas grátis.

Além disso, o livro Recalculando a Rota está na segunda edição. Quem faz o programa ganha um exemplar do livro e um convite para o evento ao vivo que acontece nos dias 8 e 9 de outubro em Florianópolis. A proposta desse ano é criar um mundo melhor mentalmente. "Vamos manifestar um mundo melhor quando começarmos a acreditar nele", aposta.

Perfil de quem faz os cursos da consultora: 85% do sexo feminino e idade de 25 anos a 65 anos. A maioria busca satisfação com o trabalho, exercido em empresas públicas ou privadas.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes