Inovação em M-Payment

Banco do Brasil


Clique na foto e veja a legenda

Mais comodidade na recarga de Bilhete Único de transporte

Clientes do Banco do Brasil que utilizam ônibus na cidade de São Paulo podem fazer recarga via celular ou terminais ATMs

Inaldo Cristoni

A praticidade foi o mote do projeto Carga Fácil de Bilhete Único de SP, desenvolvido pelo Banco do Brasil a partir de uma parceria com a SPTrans, que é a autarquia responsável pela gestão do sistema de transporte público por ônibus no município de São Paulo.

Contemplado com o Prêmio efiance 2017 na categoria Inovação em M-Payment, o projeto traz no seu bojo, também, a comodidade aos milhares de usuários de transporte público na capital paulista. A cidade tem mais de 11 milhões de habitantes e conta com uma frota de 14.736 ônibus, que operam 1.390 linhas, incluindo 151 linhas do serviço noturno.

O sistema registra aproximadamente 10 milhões de embarques diariamente e, atualmente, 94% deles são pagos com Bilhete Único. O projeto desenvolvido pelo Banco do Brasil permite a recarga de crédito para uso do transporte coletivo através de um celular ou por meio dos terminais autoatendimento do banco.

Antes, a recarga do Bilhete Único era feita com pagamento em dinheiro nos guichês de atendimento da SPTrans ou via cartão nos totens da SPTrans, causando enormes filas devido à frequência da recarga e a quantidade de usuários.

Para utilizar o celular, o usuário tem que fazer download (gratuito) do aplicativo mobile desenvolvido pelo Banco do Brasil, que está disponível tanto para a plataforma Android quanto para a iOS.

Pagamento automático

O pagamento é feito de forma automática e simples. De acordo com Fábio Castro Alves Ribeiro, gerente geral do Programa de Transformação Tecnológica (PTT) do Banco do Brasil, o aplicativo mobile é responsável, em média, por 95% das transações de recargas.

As novas funcionalidades do Bilhete Único estão disponíveis para os clientes do Banco do Brasil, um público potencial estimado em 2,5 milhões de pessoas que utilizam transporte público na cidade de São Paulo. Para os demais, a dica é abrir uma conta no banco. “Atualmente, com a Conta Fácil, em menos de três minutos o usuário pode abrir uma conta, que já está habilitada para recarga do Bilhete Único”, informa Ribeiro.

Para o desenvolvimento do projeto, o Banco do Brasil investiu R$ 190 mil, valor referente a cerca de 800 horas dedicadas à construção do software. O projeto entrou em operação em setembro do ano passado e, segundo Ribeiro, seu sucesso despertou o interesse de outras praças. Como exemplo, cita o Metrô Rio, cujo projeto atualmente está em fase de desenvolvimento.