Gestão de Telecom

TecBan


Clique na foto e veja a legenda

TecBan expande redes e eleva nível de disponibilidade dos serviços

Avanços no uso das tecnologias Wi-Fi, 3G e Consciência Situacional por Vídeos Analíticos compõem o projeto Conexão TBNET

Carolina Spillari

Em 2016, a TBNet, empresa do Grupo TecBan, expandiu a rede Wi-Fi e a conectividade 3G, mantendo uma melhor disponibilidade na comparação com tecnologias de outras operadoras. Além disso, iniciou a implantação do projeto da nova plataforma de PSIM (Physical Security Information Management) por meio da tecnologia de Consciência Situacional por Vídeos Analíticos.

A estratégia foi a de expandir a capilaridade de seus serviços de alto valor agregado para a TecBan, especializada na gestão de redes de autoatendimento externo aos bancos. Este conjunto de empreitadas, enfeixadas no case Conexão TBNET, rendeu à TecBan o Prêmio efinance na categoria Gestão de Telecom.

Segundo Robert Baumgartner, CIO da TecBan, o projeto Conexão TBNet permite atuar na frente de expansão da rede Wi-Fi, da rede 3G e da plataforma de consciência situacional. “O Banco24Horas tem como objetivo aumentar os índices de disponibilidade, qualidade e segurança em todos esses objetivos, melhorando os serviços oferecidos”, afirma. Por isso, criou e estabeleceu sua operadora própria de telecom, a TBNet. A empresa opera serviços de conectividade e monitoração de rede de caixas eletrônicos. Sua tecnologia de comunicação 100% própria e dedicada propicia também redução de custos com telecomunicações.

A TBNet disponibiliza conectividade em banda larga com alta disponibilidade por meio de uma rede Wi-Fi própria. Essa rede suporta a transmissão das transações bancárias entre os ATMs e os datacenters da TecBan. A TBNet opera com licença SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) adquirida junto à Anatel.

A TBNet provê outros serviços de valor agregado como conectividade móvel 3G para a rede de ATMs, e a disponibilização de imagens dos ATMs para a equipe interna da TecBan. Com viés inovador sustentado por um roadmap tecnológico de longo prazo, a operadora possui, identifica e testa novas tecnologias, visando disponibilizar as melhores soluções para suportar a expansão da TecBan.

Redução da indisponibilidade

Atualmente, a Rede Banco24Horas conta com mais de 20.600 caixas eletrônicos em mais de 600 cidades, em todos os Estados do país. Durante 2016, a TBNet consolidou sua qualidade nos serviços de telecomunicações, reduzindo em 29% a indisponibilidade da rede em relação a 2015.

Em sua infraestrutura Wi- Fi, as ativações de ATMs cresceram 42%, ultrapassando a marca de mil ativações. “A TBNet ampliou a rede de telecomunicações baseada em tecnologia Wi-Fi e o backbone em rádios licenciados, com aumento da capilaridade na cidade São Paulo”, assinala Baumgartner.

Nessa frente, a cobertura da rede Wi-Fi foi ampliada, mantendo maior disponibilidade, largura de banda e qualidade. A camada de gestão dos ativos foi melhorada, agregando mais flexibilidade para o controle e alteração de parâmetros na rede. Foram ativados enlaces de fibra óptica redundantes na rede backbone com os três datacenters da TecBan como melhoria estrutural.

O plano de expansão foi desenhado de maneira orgânica, iniciando a cobertura das Zonas Sul e Oeste da capital paulista, e adensando as áreas já cobertas. No final de 2016, a extensão da TBNet chegou aos municípios de São Paulo, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Santo André, Taboão da Serra, Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra e Juquitiba. “Esse crescimento sustentável com qualidade possibilitou à TBNet se tornar uma das melhores opções tecnológicas para o serviço transacional de ATMs na região metropolitana de São Paulo”, destaca o CIO da TecBan.

Com a ativação de novas ERBs (Estações Radiobase) de borda, a rede Wi-Fi foi ampliada de forma orgânica. A área de cobertura avançou pela Zona Leste de São Paulo, sentido Centro. Foi aberto um novo backhaul na Zona Sul e ativado uma ERB Gateway na Vila Mariana.

Em termos de custo-benefício, a estratégia otimizou a utilização dos recursos de rede existentes, com sinergias das equipes de manutenção de campo. O tempo de implantação da Frente Rede Wi-Fi foi de 12 meses - de janeiro a dezembro de 2016.

Frente de expansão da rede 3G

Para implantar e expandir a rede 3G nacionalmente, a TBNet se valeu de modelo próprio de operadora credenciada com seu SIM card 3G, oferecendo serviços de menor custo e maior valor agregado. Na frente de expansão da rede 3G, a TBNet implementou a parte da cadeia de valor que inclui a logística de distribuição, para atendimento da própria TecBan.

Com uma plataforma de gestão de serviço dedicada, as franquias podem ser compartilhadas entre vários SIM cards. Os custos totais com a operação são reduzidos com a otimização da relação capacidade versus consumo da franquia total. Com o controle das franquias de dados nos SIM cards, se evita o cancelamento do tráfego de dados. É possível ativar e desativar os SIM cards.

De acordo com a empresa, a solução permite um avanço funcional em relação ao serviço contratado diretamente das operadoras 3G e 4G. “Com essa tecnologia, a TBNet aumentou sua capilaridade nacional, com cerca de 1.000 ATMs conectados por mais de 600 SIM cards, em 13 localidades”, especifica o entrevistado. O tempo de implantação da Frente 3G foi de seis meses e ocorreu entre julho e dezembro de 2016.

A troca dos SIM cards nos pontos atendidos pela operadora SMC, fornecedora da rede de acesso da parceira MVNE da TBNet, possibilitou agilidade e rapidez no rollout dessa nova solução. Com o mesmo nível do sinal de cobertura, não foi necessário efetuar a etapa de benchmark de cobertura de operadoras, inerente aos projetos de ativação 3G. A disponibilidade de rede é superior à média do 3G de outras operadoras, pois se trata de uma solução M2M com core dedicado da fornecedora MVNE.

Câmeras de monitoração

Hoje, 600 câmeras de monitoração em operação da TBNet atendem a quase 1,3 mil ATMs. A implantação do projeto da nova plataforma de PSIM levou em conta uma nova solução e modelo operacional que permitam não apenas capturar as imagens, mas também gerenciar e controlar sua operação de forma eficiente, baseada em eventos.

Além disso, foi agregada inteligência analítica, transformando o atendimento reativo em preventivo. A Gestão de Eventos de Segurança Física se dará pela tecnologia de Consciência Situacional por Vídeos Analíticos. Esses novos serviços são parte de um roadmap tecnológico amplo, que representa um diferencial para a TBNet como prestadora de serviços de telecomunicações e imagens (CFTV) para a TecBan.

Com a iniciativa, será possível a gestão de mais de 10 mil câmeras. Cada tipo de alarme poderá gerar um fluxo de atendimento, com regras pré-definidas, beneficiando o procedimento de ação dos agentes e sua auditoria. Por sua vez, a inteligência analítica encontra a origem automática dos eventos. Isso representa uma mudança de paradigma para os agentes, chamados em eventos relevantes. A monitoração de todas as câmeras é ativa em operação especializada 24x7 com SLA para a correção de problemas.

A solução foi preparada para operar em links de baixa velocidade por meio de algoritmos de compressão de dados, com a garantia de utilização da menor banda possível. Em algumas localidades, será utilizado o modelo de deployment descentralizado que grava as imagens no ATM, reduzindo a demanda pelo link de dados.

Para a TecBan, os benefícios entregues pelo projeto elevam o posicionamento da empresa na indústria em que está inserida. “Essa abordagem permitiu o aumento da eficiência por meio da redução dos custos operacionais para a sustentação. Também proporcionou melhoria dos serviços para o cliente pelo aumento da disponibilidade, qualidade e segurança dos serviços prestados. Foram atingidos altos níveis de entrega, o que demonstra o comprometimento e a importância dada na aplicação do capital. Isso oferece segurança para a continuidade dos investimentos em evolução tecnológica com a certeza de retorno para o negócio”, enfatiza Robert Baumgartner.

Após a implantação do projeto, aumentou a segurança e robustez da rede para o tráfego de dados e imagens, garantindo a qualidade dos serviços prestados. Houve melhora da disponibilidade da rede com a rede Wi-Fi. O sistema de CFTV pode ser operado em localidades com baixa largura de banda por meio de soluções de compactação do tráfego de imagens ou armazenamento distribuído.

Em eventos suspeitos nas localidades onde estão instalados os ATMs, a adição de analíticos de vídeo permite identificar comportamentos suspeitos automaticamente e gerar evento, com pró-atividade. “Essa abordagem de TI e Telecom se mostrou bem sucedida nas atividades que envolvem o desenvolvimento e entrega de valor para a TecBan”, acrescenta o CIO. A TecBan relata que todas as economias previstas no plano do projeto foram alcançadas, com destaque para a redução de custos operacionais.