Data Center Internacional

Banco do Brasil


Clique na foto e veja a legenda

BB investe R$ 3 milhões na centralização de datacenter em Tóquio

Instalações serão modernizadas e padronizadas, com otimização dos recursos de contingência

Rose Crespo

O segundo case vencedor do Banco do Brasil do Prêmio efinance 2017 na categoria Datacenter Internacional envolveu a padronização e modernização da infraestrutura de datacenter do bloco Ásia, composto por 11 unidades – nove no Japão, mais duas em Cingapura e Xangai. A infraestrutura de Tóquio é a principal do banco naquele continente. Buscando a eficiência operacional e otimizar os recursos de contingência, o BB optou por consolidar as operações em único site na capital japonesa.

A mudança do site primário atendeu a uma recomendação da auditoria. A sede do BB poderia aumentar sua participação no suporte e governança das soluções de TI no exterior. O estudo de viabilidade apontou que o site de contingência deveria migrar para o datacenter de Brasília (DF).

No quesito redução de custos, a iniciativa deverá superar as expectativas do banco. Em cinco anos a economia será de R$ 17 milhões, sendo que o investimento foi de R$ 3 milhões. Com mais segurança, escalabilidade e minimização de riscos, o projeto é crucial para incrementar os serviços e melhorar o atendimento às empresas brasileiras instaladas na Ásia.

Para dar continuidade à iniciativa, estava prevista a contratação de uma nova infraestrutura na modalidade hosting, com espaço e equipamentos fornecidos pelo prestador de serviços. “O prêmio levou em conta as melhorias para os clientes em relação à disponibilidade, rapidez de processamento, segurança etc. Nosso projeto representou exatamente isso: melhorias para a clientela, pois os ganhos de eficiência agregam valor ao negócio e permitem a oferta de produtos e serviços de qualidade a preços competitivos”, ressaltou Eliasibe Moraes de Almeida, gerente de tecnologia externa no Japão.

Levantamento do inventário

O projeto contemplou o levantamento de inventário de serviços do datacenter atual, a confecção de RFP (requirements for proposal) para o processo licitatório do novo datacenter, contratação, planejamento para migração dos sistemas e instalação dos equipamentos. Também foram realizados testes para verificação da viabilidade de migração da contingência para o Brasil, prevista para a segunda fase. O processo terá duração de 16 meses, com início em março do ano passado e conclusão esperada para julho deste ano.

O maior desafio foi desenvolver o trabalho de forma coesa, considerando a distância de milhares de quilômetros e 12 horas de diferença de horário. “Além desses fatores, restrições contratuais reduziram consideravelmente o prazo. Houve também a necessidade de coordenar a migração de serviços críticos entre o site antigo e o novo, sendo que a respectiva infraestrutura tecnológica também migrou”, apontou Almeida.

Parte do projeto englobou também a atualização do sistema core bancário Equation, além da migração de sistemas, como SWIFT (solução de gerenciamento eletrônico de documentos), CAFIS (processamento e conectividade da rede ATM) e outras soluções voltadas para o fornecimento de informações exigidas pelos reguladores locais.

Quanto à premiação na 17ª edição do efinance, o executivo do BB explicou que a conquista funciona como um combustível para a contínua busca pela excelência: “Com o reconhecimento, temos a certeza de que estamos no caminho certo e vale a pena a dedicação para entregar a melhor experiência para os nossos clientes”.