Integração de negócios

Bradesco


Clique na foto e veja a legenda

Bradesco: um fim de semana para integrar operações do HSBC

O projeto, que envolveu mais de 800 agências e 5 milhões de clientes, foi executado em 33 frentes de trabalho

Inaldo Cristoni

Em agosto de 2015, o Bradesco venceu a disputa com o espanhol Santander pela aquisição da operação brasileira do HSBC, um processo que seria concluído em meados do ano seguinte. No mês de outubro do exercício passado, o Bradesco concluiu a integração dos sistemas, ou seja, a migração de todas as informações daquele banco para a sua plataforma.

O projeto Integração do Banco HSBC é considerado grandioso não apenas porque envolveu mais de 800 agências e 5 milhões de clientes, mas também por ter sido implementado em curto espaço de tempo – apenas um final de semana –, o que exigiu um complexo planejamento. O principal desafio foi cumprir esse objetivo com transparência na operação e sem causar impacto aos clientes.

Vencedor do Prêmio efinance 2017 na categoria Integração de Negócios, a iniciativa concretiza o que é apontado como a maior integração bancária já realizada entre as 48 aquisições já protagonizadas pelo Bradesco no mercado brasileiro e para cujo sucesso a excelência da área de tecnologia da informação (TI) desempenhou papel fundamental.

Edison Dias dos Reis, diretor do Departamento de Sistemas do Bradesco, não tem dúvidas de que se trata de uma experiência única no setor, aqui no Brasil. “Unificar duas operações bancárias, envolvendo 5 milhões de clientes, em plena era digital em que vivemos, onde os clientes consultam suas informações e realizam ou agendam suas operações a qualquer hora e a qualquer dia da semana, é desafiador”, comenta.

O jornalista Guilherme Berriel, diretor da Executivos Financeiros, destaca o esforço que o processo de integração demandou dos profissionais de TI e de negócios, assim como de outras áreas do Bradesco: “A gente tem que reconhecer o trabalho que foi feito, muito embora a tecnologia de integração já esteja dominada pelos grandes bancos, que nos últimos anos vêm incorporando uma série de novos ativos através de aquisições”.

Além da excelência da área de TI, outros aspectos que contribuíram de forma decisiva para o sucesso da integração foram o controle da execução dos planos do negócio, e a disponibilidade em tempo real das informações estratégicas e operacionais para gestão precisa e assertiva das decisões executivas em cada etapa do projeto.

Curto intervalo de tempo disponível

Indagado sobre por que a integração do sistemas deveria ser concluída em um intervalo de tempo tão curto, Reis explica que, na transação comercial, o Bradesco havia adquirido as operações do HSBC Brasil, mas não a marca. “Por isso, logo após o prazo definido em contrato não poderíamos mais utilizar o nome HSBC nos canais de atendimento e demais mídias.”

Dessa forma, todos os produtos e serviços foram gradativamente colocados à disposição dos clientes ao longo do fim de semana da integração. O processo foi iniciado logo após o encerramento das agências e dos canais de atendimento do HSBC na sexta-feira e concluído na segunda-feira pela manhã.

A integração envolveu todas as plataformas tecnológicas, incluindo core banking, canais de atendimento e troca de informações com entidades externas, como Banco do Brasil, Banco Central e Bolsa de Valores, por exemplo. Além disso, houve, também, a troca de 13 mil estações de trabalho e de mais de 3,8 mil máquinas ATMs.

Para a execução do projeto foram criadas 33 frentes de trabalho, com a participação de 900 funcionários e 40 fornecedores de soluções de TI. De acordo com Reis, o processo de integração foi dividido em duas etapas. A primeira, de separação da operação do HSBC, teve como foco a preparação para a aquisição e integração da operação brasileira do banco pelo Bradesco. “Essa etapa envolveu um grande esforço das equipes de negócios e de TI, a fim de desligar alguns sistemas, substituir outros e identificar alterações necessárias ao negócio”, explica.

A segunda etapa, de integração da operação brasileira do HSBC, contemplou a migração de mais de 2 mil arquivos e de 153 novas funcionalidades nos aplicativos Bradesco. O trabalho incluiu os canais digitais, as centrais de atendimento, a troca de cartões e desbloqueio, a ativação de acesso aos canais, o cadastro de biometrias e a comunicação aos clientes.

Quanto aos resultados, o Bradesco registrou poucas ocorrências após o processo de migração. A conclusão do projeto e a efetiva integração das operações elevaram em 16% os ativos do banco, para R$ 1,192 trilhão.