Gestão de Pessoas

Banco do Brasil


Clique na foto e veja a legenda

Programa treina pessoal para a área de TI do BB

O Progrid foi criado para contornar o problema da carência de mão de obra em TI que existe no mercado de trabalho.

Inaldo Cristoni

Um aspecto crítico para as organizações que buscam novos talentos para compor o seu quadro de pessoal é o chamado “apagão” de mão de obra. Na área de tecnologia da informação (TI) tem sido recorrente a indisponibilidade de pessoal qualificado para suprir as vagas existentes no mercado de trabalho. A forma encontrada pelo Banco do Brasil para enfrentar o problema foi a criação do Programa de Ingresso na Ditec (Progrid).

Ditec é a Diretoria de Tecnologia do Banco do Brasil que, preocupada com a qualidade das soluções de TI produzidas e com o atendimento das necessidades dos clientes interno e externo, realizou um Fórum de Capital Humano, no qual foram levantados alguns entraves ligados ao processo de gestão de pessoas.

Entre os problemas listados, figuram a ausência de processos de orientação profissional; a falta de sistematização dos processos seletivos da Ditec; a dificuldade de preenchimento das vagas específicas em TI e o tempo de treinamento para formar uma analista na área (no mínimo um ano). Um dos cenários identificados durante o fórum, a carência de profissionais, foi um dos fatores que motivaram a criação do Progrid.

Contemplado com o Prêmio efinance 2017 na categoria Gestão de Pessoas, o projeto surgiu em 2011 e ao longo de nove edições, que em geral ocorrem uma vez por ano, aprovou muitos funcionários via recrutamento interno e através de concurso público destinado ao público externo. “Era necessário criar uma forma de atrair talentos com o perfil e motivação adequados para a área de TI”, justifica Tatiana Moreira de Andrade Protzner, assessora empresarial de Capital Humano na Ditec.

A média de aprovação dos participantes varia conforme o direcionamento da etapa de aferição técnica. Influencia também o fato de o certame oferecer a quantidade de vagas adequada ou se se trata de formação de banco de talentos. Para a edição deste ano, por exemplo, o Progrid recebeu a inscrição de 4.024 funcionários para compor o banco. Desse total, 346 foram recrutados e 114 obtiveram aprovação. A Ditec contabiliza, atualmente, 3.310 funcionários.

Aceleração da curva de aprendizado

Os resultados obtidos tanto com o recrutamento interno quanto com a seleção a partir de concurso público têm correspondido às expectativas do Banco do Brasil. Embora não disponha de indicadores formais, Tatiana aponta como benefícios do Progrid a aceleração na curva de aprendizado do pessoal e o aumento da satisfação do corpo funcional com a criação de uma forma sistematizada, clara e transparente de atração de talentos.

Quem se inscreve no Progrid participa de uma série de capacitações, treinamentos no ambiente de trabalho, tutoria e coaching, feedbacks, orientação profissional e outras atividades que permitem avaliar, ao longo dos seis meses de duração do programa, se o funcionário reúne os requisitos necessários para trabalhar na Ditec.

Segundo Tatiana, aos recém-chegados é feita a disseminação da cultura da Ditec: na primeira semana, ele são apresentados aos novos colegas e ficam conhecendo a estrutura e a forma de trabalhar da diretoria. “A equipe de Capital Humano procura disseminar a história da tecnologia no Banco do Brasil, através de depoimento de colegas”, revela.

Indagada sobre os atrativos para o ingresso de profissionais na Ditec, Tatiana ressalta que “a carreira de tecnologia do Banco do Brasil já possui um atrativo natural, que é um adicional de TI no salário”. Mas ela destaca, também, a grade de aproximadamente 300 horas de treinamento – que corresponde a um curso de extensão – e o plano de carreira.

O Progrid é um programa de abrangência nacional, cujos resultados impactam positivamente a operação do Banco do Brasil no mercado. “A grande oxigenação de mão-de-obra que surgiu com o Progrid traz para essa diretoria [a Ditec] funcionários com experiência e vivências diferentes e essa bagagem é usada na proposição de novas ferramentas e programas para atendimento de correntistas”, assinala Tatiana.