Aplicativo de Private Banking

Banco do Brasil


Clique na foto e veja a legenda

Aplicativo gerencia investimentos de clientes de alta renda do BB

Análise do portfólio garante visões relevantes como rentabilidade, risco e liquidez

Edilma Rodrigues

O aplicativo do Banco do Brasil de consultoria financeira e patrimonial para Private, Gestão do Portfólio de Investimentos, melhorou a experiência de clientes e gerentes, garantiu eficiência operacional e redução de riscos. O objetivo do banco era desenvolver a experiência digital para clientes de alta renda, com tecnologia que também permitisse analisar as modalidades de aplicação e atender a demanda por relatórios e extratos consolidados, com todas as informações de posição, rentabilidade e risco de seus investimentos. A novidade, disponível desde março, venceu o Prêmio efinance na categoria Aplicativo de Private banking.

O gerente geral do PTT (Programa Transformação Tecnológica) do Banco do Brasil, Fabio Castro Alves Ribeiro, explica que clientes com renda mensal acima de R$ 10 mil ou, pelo menos, R$ 100 mil em investimentos são hoje alvos de uma disputa cada vez mais acirrada entre os grandes bancos brasileiros. “Nos últimos anos, houve expressivo crescimento da operação de Private Banking no BB, tanto no volume de negócios e resultados quanto na quantidade de clientes e variedade de ativos sob gestão. Atualmente são 36 mil clientes com R$ 135 bilhões em ativos”, acrescenta.

A solução confere visões do portfólio alinhadas às orientações institucionais da unidade estratégica, o que aumenta a segurança, a transparência e a agilidade do processo. A automação de dados, por sua vez, reduz o risco operacional e libera tempo para os gerentes, uma vez que não precisam mais construir as carteiras manualmente. E permite cadastrar as classes de ativos; criar carteiras e incluir um ou mais participantes, consolidando investimentos de grupos familiares; ter fluxo para a contratação do serviço, além de processar e consolidar informações dos sistemas legados sobre produtos de investimento e saldo em caixa. “O objetivo é ter visões relevantes à gestão do portfólio de investimentos como rentabilidade, risco e liquidez,” esclarece Ribeiro.

O BB também estima, em cinco anos, reduzir em R$ 59 milhões seus custos, frente aos R$ 10 milhões gastos anualmente para construção de portfólios para os grupos que compõem as carteiras de clientes. E terá incremento de receitas com o fornecimento de consultoria financeira. “Os gerentes podem prestar consultoria aos clientes sobre avaliação de portfólio consolidado e de riscos e rentabilidade, essenciais para o investimento; utilização de recursos e reservas de emergências, por meio da plataforma interna BB e dos canais Web e Mobile”, comenta Ribeiro.

Com apoio de uma consultoria externa, o projeto teve início no começo de 2016. A implantação aconteceu em três etapas: validação de dados e parametrização do sistema; disponibilização da solução na plataforma interna do Banco do Brasil – apenas para usuários internos, em ambiente de produção assistida e controlada.

Concluída a fase do piloto, a solução foi liberada para os escritórios Private e em seguida para os clientes Private do Banco do Brasil (Web e Mobile). Futuramente, a utilização da ferramenta poderá ser estendida a todos os clientes do banco. “A experiência digital resultou em subsídios para outra solução que o banco deve desenvolver”, adianta Ribeiro.