Governança de TI

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Gerenciamento de Serviços CAIXA – CGS

 

Gestão renovada propicia visão única, com indicadores, gráficos e painéis

O time da Caixa que esteve à frente do projeto foi composto por Roberto Nogueira Zambon, diretor executivo, Ednilson Eduardo de Mello Cunha, coordenador de Projetos – Matriz, George Washington Menezes, superintendente nacional, Davidson Marcel Pasqualini, gerente de centralizadora, e Sérgio Martins da Silva, gerente nacional.
 

Projeto dá suporte à meta estratégica de crescimento da Caixa

Terceira maior instituição financeira em ativos do Brasil, a Caixa Econômica Federal marcou mais um gol ao implementar um projeto de reestruturação e revitalização de sua rede, que é tão ambicioso quanto a sua meta de crescimento. A CEF pretende investir R$ 13 milhões no gerenciamento de serviços de TI em um prazo estimado em três anos. O banco deverá instalar a plataforma tecnológica apontada como uma das melhores soluções ITSM pelo Gartner Group. 

A simplificação e a integração de processos internos prometem propiciar agilidade e rapidez nos atendimento a clientes, usuários e fornecedores, entre outras vantagens. A visão única com indicadores, gráficos e painéis de desempenho será crucial para dar suporte às decisões do corpo gerencial. “Temos vários resultados que mostram o posicionamento estratégico da Caixa. O sistema permite aprimorar a gestão financeira entre a CEF e seus fornecedores, simplificar e agilizar o atendimento, já que os clientes podem acompanhar melhor suas solicitações”, afirma George Washington Menezes, superintendente nacional da instituição.

O GSC (Gerenciamento de Serviços Caixa) ajudará a instituição a conquistar sua meta de crescimento até 2022, prevendo ocupar o terceiro lugar no ranking dos maiores bancos brasileiros e garantir o papel de parceiro estratégico do Governo Federal.   

A redução do custo operacional já é uma realidade. A revisão e a simplificação de processos permitiu a redução para 2,5 mil categorias de tipos de requisição que antes chegavam a 22 mil. A consolidação da base de gerenciamento de serviços de tecnologia possibilitou a migração de uma ampla gama de serviços, como FGTS, programas sociais, empréstimos e financiamentos, cadastro de clientes etc. 

Essas opções correspondem mais de duas mil categorizações na nova solução, com mais de 600 mil chamados/requisições por mês. A solução contém mais de 301 mil itens de configuração em sua base de dados e dá suporte à implantação de mais de 1.000 mudanças/mês. Possui também interação com 300 empresas de TI/Negócio, avaliando prazos de atendimento e resultando em torno de R$ 167 milhões/mês. 

Operação gigantesca

Os números da CEF impressionam e justificam o destaque obtido pelo projeto – que contou com as participações da CSC e da BMC Software, fornecedoras de soluções de TI – na categoria “Governança de TI” do Prêmio efinance. A Caixa é dona da segunda maior carteira de crédito do país, com mais de 70 milhões de clientes. A rede de atendimento nacional é composta por mais de 60 mil pontos, mais de quatro mil agências e postos de atendimento, perto de 30 mil correspondentes “Caixa Aqui” e lotéricas, mais de 30 mil máquinas nos postos de autoatendimento e mais de 10 mil terminais compartilhados, entre outros pontos de presença.

Para sustentar esse crescimento, a vice-presidência de TI (Vitec) investe em tecnologias de ponta para inovar canais e expandir sua rede interna. De 2012 a 2015, foram atualizados mais de 20 mil terminais financeiros e 93 mil estações de trabalho das agências, 14 mil terminais ATM, entre outros ativos. 

O plano incluiu a construção de dois datacenters, em Brasília, um em parceria com o BB e outro próprio. Sistemas que ficavam hospedados em prédios no Rio, Brasília e São Paulo migraram para os centros de dados, ambientes de alta disponibilidade que oferecem ainda mais confiabilidade e menor risco operacional. 

O GSC tem como base as melhores práticas de gestão de serviços de TI (ITIL -Information Technology Infrastructure Library) e envolveu todas as unidades subordinadas à vice-presidência, além dos ambientes das áreas de negócios da CEF. 

A iniciativa começou com o planejamento, contemplando análise, desenho e a capacitação das equipes. A próxima etapa envolveu a parametrização das várias soluções usadas pelo banco, entre outros processos.

 Os requisitos funcionais foram adaptados, a documentação elaborada, a homologação e os ajustes finais para migração para produção também fizeram parte do processo. Por fim, a migração para produção e a operação assistida referente às aplicações. Paralelamente, a instalação e a configuração do dashboards for BSM e Analytics for BSM. 

A tecnologia permitirá o controle de licença e do uso dos softwares, a comunicação de incidentes críticos e crises, padronização dos processos de gerenciamento, além da integração automatizada do gerenciamento de serviços e a solução de atendimento de demandas de desenvolvimento.