Governança de TI

, Published in Vencedores 2018

BANCO DO BRASIL

Fábricas de Software

 

 

 

Oito novas fábricas de software ajudam desenvolvimento do BB

 

 

 Do Banco do Brasil, Marcos Henrique Paiva Homem de Faria, assessor empresarial de TI; Renata Cristina Faray Melo Correia, gerente de Divisão; João Batista Damaceno, assessor TI; e Pedro Paulo da Silva Razuk, assistente empresarial.

 

Após licitação, por meio de pregão eletrônico, empresas foram escolhidas para suprir todas as demandas tecnológicas do banco

Até o final de 2016, o Banco do Brasil era atendido por cinco fábricas de software que, em conjunto com a Diretoria de Tecnologia (Ditec), eram responsáveis por suprir as demandas das áreas de negócios. Porém, com a transformação digital que a empresa passa, era necessário um reforço na capacidade de atendimento do setor.

Sabendo disso, a empresa realizou estudos para determinar o volume de serviços, de forma a atender todas as áreas de negócios, quando necessário, para que fosse possível aumentar a capacidade de entrega de soluções de Tecnologia da Informação (TI).

Após a análise de todos os cenários, o Banco do Brasil propôs oito novas fábricas com suas respectivas volumetrias. O projeto, denominado Fábricas de Software, foi o ganhador do prêmio efinance na categoria Governança de TI. Como a empresa é uma sociedade de economia mista e deve seguir a lei 13.303/2016 para realizar suas contratações, a escolha dos novos fornecedores foi feita por licitação por meio de pregão eletrônico. Na ocasião, o BB decidiu que o prazo dos novos contratos seria de 60 meses. Foram publicados dois editais com quatro lotes cada, sendo que uma empresa não poderia ser a vencedora de mais de um lote em um mesmo edital.

Com a contratação das fábricas de software, a Ditec manterá sua capacidade de atendimento à crescente demanda de TI por parte das diretorias responsáveis pelos produtos e negócios do Banco do Brasil, assim como das áreas responsáveis pela análise de dados e informações que impactam nas tomadas de decisões da direção da empresa.

O volume de serviços contratados no projeto envolve, aproximadamente, a mão-de-obra de 800 novos colaboradores. Além disso, a contratação das oito novas fábricas envolve mais de R$ 500 milhões.