Aplicativos Sociais

, Published in Vencedores 2018

CAIXA

Novo Aplicativo Bolsa Família Caixa
Novo Aplicativo Caixa Trabalhador

 

 

 

 

CAIXA investe em aplicativos ligados à concessão de benefícios

 

 

 Da Caixa, Rodrigo Evangelista de Castro, superintendente nacional; Cintia Regina Magalhães Rhein, assistente executiva sênior; Camila Maria Correa Pinto, consultora matriz; Ricardo Pontes Pereira, coordenador de Projetos de TI; Anderson Silva Malafaia, coordenador de TI; e Ricardo Alex Santos de Moraes, coordenador de Projetos de TI

 

Cidadãos brasileiros ganham novos canais online que prestam informações sobre Bolsa Família, seguro desemprego, PIS e abono salarial

A Caixa está investindo em aplicativos sociais, concebidos para beneficiar cerca de 53 milhões de cidadãos brasileiros que recebem benefícios. Um dos sistemas é o Bolsa Família Caixa, um canal online, seguro e gratuito. A outra ferramenta é o Aplicativo Caixa Trabalhador, desenvolvida para oferecer informações sobre benefícios sociais aos mais de 40 milhões de trabalhadores do mercado formal. Por intermédio dela, são prestadas informações sobre seguro desemprego, pagamento de PIS e abono salarial. Esses dois projetos foram ganhadores do prêmio efinance na categoria Aplicativos Sociais.

Facilitar o acesso às informações pelo celular do Programa Bolsa Família para as 13 milhões de famílias beneficiadas. Para isso, a Caixa Econômica Federal criou um aplicativo que permite o acompanhamento do pagamento, a consulta das últimas parcelas disponibilizadas, o calendário de pagamentos, entre outros serviços. A iniciativa, sustentada pelo projeto Novo Aplicativo Bolsa Família CAIXA, rendeu ao banco um dos prêmios do efinance 2018, na categoria Aplicativos Sociais, pelo seu potencial de inovação e praticidade oferecida aos clientes.

Foram investidos em torno de R$ 500 mil no projeto, que deverá gerar uma economia mensal de perto de R$ 3 milhões – uma excelente relação custo-benefício. Até abril, foram efetuados mais de 5 milhões de downloads e em torno de 29 milhões de acessos mensais.

A redução dos gastos está associada ao custo de atendimento dos clientes que vão buscar as informações pelo celular, em vez de ligar para a central telefônica. Em média, cada chamada à URA custa R$ 0,45 que atendia 29 milhões de usuários/mês. Além do custo operacional, o beneficiário não precisa se deslocar à agência ou à prefeitura para acompanhar o processo.

A gama de serviços no canal mobile é ampla e inclui a disponibilidade dos benefícios, endereço da agência mais próxima, além de contemplar uma área dedicada à educação financeira e outras orientações. Além da facilidade e segurança no acesso, o aplicativo é parte da estratégia da instituição que busca ampliar sua presença no mercado digital.

Com o aplicativo, a CEF pode captar novos clientes e explorar esse canal de relacionamento não apenas com os beneficiários do programa, alcançando mais de 50 milhões de usuários que representa um quarto da população brasileira. Entre outras vantagens, a CEF não apenas amplia a fidelização dos clientes como reforça seu posicionamento como agente de políticas públicas.

O desenvolvimento do aplicativo iniciou-se em outubro de 2017, quando a CEF criou equipes multidisciplinares que se basearam no método ágil de desenvolvimento, priorizando o MVP (minimum viable product). A cada 20 dias, o aplicativo ganhava novas funcionalidades voltadas para melhorar a experiência e atender a demanda dos clientes. Para otimizar o atendimento e o layout, a equipe contou com a participação dos usuários colhidas nas lojas Apple Store e Google Play. Uma nova versão foi lançada em fevereiro e, após um mês, outra versão.

Seguro desemprego - Além dos beneficiários do Bolsa Família, os trabalhadores já podem acessar informações de PIS, abono salarial, seguro-desemprego e outros serviços pelo celular. A Caixa Econômica Federal lançou, em abril de 2017, o aplicativo que disponibiliza os dados na palma da mão dos trabalhadores. Batizado de Novo Aplicativo Caixa Trabalhador, a iniciativa conferiu ao banco mais um prêmio efinance 2018 na categoria Aplicativos Sociais.

O projeto também apresentou uma excelente relação custo-benefício, com uma economia de R$ 1,8 milhão ao mês, já que a central de atendimento atendia 4 milhões de usuários. Cada chamada na URA custava em média R$ 0,45 e, além da redução de custos, o aplicativo confere rapidez, segurança e comodidade no atendimento.

Foram investidos perto de R$ 500 mil, considerando o desenvolvimento do front end e as alterações estruturais nos sistemas legados. Até abril deste ano, foram registrados mais de 6 milhões de downloads e em torno de 4 milhões de acessos mensais. Como o serviço atende 40 milhões de trabalhadores do mercado formal, a CEF aposta que a ferramenta digital se torne o principal canal de relacionamento com esse público.

Entre as funcionalidades, o trabalhador pode usar a calculadora do abono para simular o benefício que receberá, de acordo com o salário informado e os meses trabalhados no período. Outra novidade é o agendamento de benefícios que fica armazenado na própria agenda do aparelho como lembrete. O sistema confere ainda a opção de encaminhamento de mensagens, facilitando o contato direto com os usuários. O aplicativo apresenta links de outros aplicativos CAIXA, como parte da estratégia de fidelização dos clientes.

Em média a cada 20 dias, o App recebe aprimoramentos para melhorar a usabilidade que tem como foco tornar a navegação cada vez mais intuitiva. Uma das prioridades é fornecer as informações sobre as cotas do PIS com mais de 20 milhões de cotistas. Assim como o outro projeto vencedor na categoria, o aplicativo inclui uma área destinada à educação financeira, parte da estratégia da CEF em disseminar a inclusão produtiva, com linhas de crédito específicas para contribuir com a emancipação das famílias.

More in this category: « Modernização de Canais Crédito »