Projetos de Apoio ao Trabalhador

, Published in Vencedores 2018

CAIXA

Saques Contas Inativas FGTS
Pagamento de Contas Inativas do FGTS
Sistema de pagamento das contas inativas
Predição de débitos de FGTS

 

 

 

 

CAIXA monta operação gigantesca para pagar contas inativas do FGTS

 

 

 Da Caixa, Rodrigo Evangelista de Castro, superintendente nacional; Tatiane Rodrigues Carvalho de Oliveira, gerente nacional; Gerson Bordignon, superintendente nacional; Ednaldo Francisco de Oliveira, gerente de Clientes e Negócios; George Washington Menezes, superintendente nacional; Henrique José Santana, superintendente nacional; Rosana Faria Capítulo, coordenadora de TI; Sergio Palma da Justa Medeiros, gerente de centralizadora; Mauro Sergio Azeredo Leite, coordenador de projetos de TI; Eduardo Pereira Dias, gerente executivo; Roberto Ramos Monteiro Junior, coordenador de Projetos TI; e Rômulo Barbosa Teixeira, assistente pleno

 

Ampla comunicação com a sociedade e preparo logístico, operacional e sistêmico para realizar os pagamentos foram os desafios vencidos

Ao dar mostras, novamente, de seu insubstituível papel de agente de políticas públicas, notadamente as de cunho social, a CAIXA recentemente efetivou o pagamento dos saldos das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Trata-se da maior operação bancária, em termos de logística e de atendimento, realizada no mercado financeiro do país nos últimos 20 anos. Esta ação valeu ao banco a vitória na categoria Projetos de Apoio ao Trabalhador, com um conjunto de cases, todos ligados à área de FGTS.

Assim, por exemplo, o objetivo do projeto Saques de Contas Inativas do FGTS foi colocar em marcha uma estratégia de comunicação agressiva e abrangente. A ação, focada em relações públicas, buscou orientar os cidadãos com direito ao benefício. Administradora do FGTS, a CAIXA precisava  superar o desafio operacional e logístico de realizar os pagamentos, além de informar e mobilizar a população em um prazo curto e com recursos limitados.

Era preciso impactar os trabalhadores brasileiros nos mais de 5.570 municípios ao mesmo tempo. "Mais de 10 milhões de trabalhadores tinham direito a receber as contas inativas do FGTS. Tivemos que buscar as soluções. Tínhamos um grande desafio na mão: alcançar o País inteiro, informar a população e tudo tinha que dar certo, senão poderíamos gerar mídia negativa", relata Tatiane Rodrigues de Carvalho, gerente nacional da Assessoria de Imprensa da CAIXA.

O banco apostou na simplicidade, com ações nas redes sociais e no atendimento à imprensa. "Trabalhamos internamente para a formação de um comitê, que organizou as áreas do pagamento de FGTS. Conseguimos trabalhar o cenário e, ao mesmo tempo, treinamos os porta-vozes. Obtivemos a façanha de unificar o discurso para o País inteiro", conta Tatiane. "Tínhamos um público estimado de 10 milhões e acabamos pagando 25 milhões de trabalhadores", acrescenta.

Além da produção e distribuição diária de conteúdos exclusivos, o Facebook Live esclareceu dúvidas dos jornalistas e mobilizou a população. "Além das coletivas de imprensa, também trabalhamos na comunicação direta com o próprio trabalhador", resume a executiva. Só a primeira transmissão contou com a participação de mais de 200 mil trabalhadores e profissionais de imprensa. Em 48 horas, gerou mais de 1.000 notícias positivas nos meios de comunicação.

Foi montada uma rede de radialistas e um calendário de entrevistas, com mais de 100 porta-vozes. Computaram-se mais de 22 mil matérias durante o período de pagamento das contas inativas e milhares de pessoas impactadas pelos conteúdos publicados no perfil @imprensacaixa.

Canais para realizar os pagamentos – Em apenas dois meses, a CAIXA criou uma estratégia para o pagamento das contas inativas. A inovação se deu no atendimento, com utilização de múltiplos canais e incentivo do uso dos canais virtuais e de autoatendimento, para atender a um maior número de pessoas com o menor custo possível. Com isso, o case Pagamento de Contas Inativas do FGTS venceu o Prêmio efinance 2018.

Toda a empresa foi mobilizada para realizar a operação, em cumprimento ao calendário estabelecido pela Medida Provisória número 763/2016, que modificou a legislação do FGTS, visando flexibilizar as regras de saque das contas inativas. A Medida autorizou a liberação de valores aos trabalhadores que possuíam conta vinculada a contrato extinto até 31 de dezembro de 2015, independentemente do cumprimento da carência dos três anos fora do regime do FGTS.

Um estudo elaborado pela vice-presidência de Fundos e Loterias definiu o escopo da MP. Além disso, esta instância de direção do banco detalhou as rotinas operacionais necessárias à implementação da ação de pagamento do FGTS, mobilizando áreas da CAIXA e de órgãos parceiros envolvidos no processo.

Na ação, a TI do banco atuou desde a fase de planejamento, na avaliação dos canais de atendimento. Para comportar o volume de transações previsto, sem maiores impactos para o cliente, participaram do empreendimento o Sistema de Automação de Agências, o Autoatendimento, o CAIXA Aqui e os Lotéricos, dentre outros.

Mais de dois milhões de trabalhadores efetuaram adesões para crédito em conta, na Internet, sem necessidade de deslocamento para uma agência física. Para tanto, foi criada uma infraestrutura distribuída em dois sites da CAIXA: Data Center e Central de Tecnologia CAIXA, com balanceamento da carga. Em cada site foram envolvidos 30 servidores, com 20 instâncias cada. Dos servidores, 15 eram Web e 15 de aplicação. No total, foram 60 servidores em 1.200 instâncias.


Aplicação de alta performance - Para atender a demanda governamental de liberação dos valores de contas inativas do FGTS, a CAIXA precisou contar com uma aplicação de alta performance. A solução desenhada fez com que a CAIXA fosse premiada com o Prêmio efinance 2018 com o case Sistema de Pagamento de Contas Inativas.

O sistema deveria permitir a consulta, a adesão e a liberação para saque dos valores. Também deveria disponibilizar o crédito nas contas correntes durante o período estipulado. Cerca de 1,65 milhão de trabalhadores receberiam automaticamente o crédito em suas contas correntes na CAIXA a partir de 10 de março de 2017. Mais de 1,2 milhão poderiam sacar com o Cartão Cidadão no autoatendimento, lotéricas e Correspondentes CAIXA Aqui. Os demais trabalhadores teriam que sacar os recursos nas agências.

Para a implantação, foi criado um sistema Mobile e Internet que foi utilizado para consulta de valores e adesão ao saque das contas liberadas. Depois, foram otimizadas e adequadas as rotinas envolvidas, visando suportar o volume de acessos e a efetivação dos débitos dos valores nas contas vinculadas dos trabalhadores. Por último, foram otimizadas as rotinas de crédito nas contas correntes dos trabalhadores para atender a demanda estimada.

A aplicação desenvolvida viabilizou o pagamento de 20 milhões de trabalhadores. Dentro do prazo e na conformidade da lei, foram debitados os valores de 25,9 milhões de contas vinculadas, injetando mais de R$ 44,3 bilhões na economia do Brasil.

Predição de débitos das empresas - Na área do FGTS, o montante das dívidas das empresas soma R$ 22 bilhões. Por isso, a identificação do perfil de devedores, de seu comportamento e de situações relacionadas à inadimplência pode orientar ações resolutivas que contribuirão para o patrimônio do fundo e a saúde fiscal das organizações. Com este objetivo, foi empreendido o projeto Predição de Débitos do FGTS da CAIXA, que recebeu o Prêmio efinance nesta categoria de Projetos de Apoio ao Trabalhador.

Uma possível reversão de 0,5% das dívidas implicaria um retorno maior que R$ 100 milhões. A longo prazo, o Retorno sobre o investimento (ROI) seria de mais de R$ 100 milhões para o patrimônio do FGTS, saldando dívidas trabalhistas para milhares de trabalhadores.

No projeto foram identificados, classificados e agrupados os perfis, possivelmente predizendo situações de débito das empresas em relação à arrecadação de FGTS. Também é aferida a regularidade das empresas quanto ao pagamento de FGTS.

Do ponto de vista da organização, a iniciativa estreita o relacionamento com as empresas, promovendo a saúde fiscal e a habilitação para se obterem certificados de regularidade, necessários para determinadas operações.

Do ponto de vista externo, a predição de débitos melhora a imagem da CAIXA como parceira das empresas e braço operacional para a conformidade fiscal e trabalhista dos empregadores.

Em função da aplicação de técnicas e de algoritmos de inteligência artificial, a CAIXA vê melhoria nas ações de relacionamento da GEPAS junto aos empregadores. Algoritmos e técnicas de mineração de dados direcionam os dados de débitos, a arrecadação e cadastro dos empregadores no sistema SIIFG (Sistema de Informações do FGTS, considerado o BI do FGTS).

More in this category: « Marketing Digital Banco Digital »