Menu

Check Express expande negócios atendendo nichos específicos

Check Express expande negócios atendendo nichos específicos

Estratégia foi enfocar pequenos estabelecimentos varejistas e diversificar portfólio

 

No transcurso de seus 15 anos de existência, a Check Express, desenvolvedora de soluções para as áreas de crédito e meios de pagamento, logrou uma forte expansão de seus negócios com base em uma estratégia inicial clara. Tratava-se de atuar em nichos de mercado que não vinham sendo contemplados por outras instituições e provedores de serviços, elegendo como foco as pequenas e médias empresas. Em um segundo movimento, a diretiva foi diversificar seu portfólio para cobrir outros ramos de atividades financeiras.

Como rememora José Mário Ribeiro, CEO da Check Express, a organização começou como distribuidor autorizado da antiga Serasa, realizando checagem de cheques, vindo daí, aliás, o seu nome de origem: “A Serasa atingia grandes empresas, o grande varejo, no final dos anos 90, mas atendia pouco as menores. Foi aí que iniciamos o trabalho neste segmento, levando as consultas de cheques e crédito para cima do balcão, criando para tanto uma plataforma tecnológica”.

Com o tempo, construiu-se uma rede de revendas em todo o País, formada por contratados que tinham por missão abordar e prestar suporte direto aos varejistas. “Sempre buscamos ser diferentes. Percebemos que os distribuidores da época vendiam e sumiam. Decidimos então vender e ficar perto dos comerciantes”, assinala o entrevistado.

Até hoje os participantes da rede ganham uma comissão a fim de cuidar de suas respectivas carteiras. “Com isso, conquistamos vários clientes e, mais importante, perdemos muito poucos”, enfatiza Ribeiro. Atualmente, a Check Express conta com 120 revendas e 50 mil clientes, lojistas e pequenas e médias empresas dispersos pelo território nacional.

Posteriormente, a desenvolvedora enveredou por outros caminhos, sempre defendendo, segundo o CEO, o modelo de sustentação e de fluxo de caixa, obtendo-se ganhos dentro do negócio. Assim, por exemplo, iniciou atividades como a de “acquiring” e construiu plataformas para a recarga de celulares.

“Outra iniciativa relevante deu-se com o correspondente bancário, permitido que os parceiros Bradesco e Itaú levassem operações como pagamentos e recebimentos para a padaria da esquina. Dessa maneira, nosso negócio foi crescendo”, destaca ele.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes