Finanças - Executivos Financeiros - Executivos Financeiros http://www.executivosfinanceiros.com.br/ 2019-07-20T00:33:05+00:00 Joomla! - Open Source Content Management Reforma tributária é necessária para aumentar investimentos e diminuir burocracia 2019-07-17T00:00:00+00:00 2019-07-17T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/7064-reforma-tributaria-e-necessaria-para-aumentar-investimentos-e-diminuir-burocracia Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/e293e0749480c41a1cc8b9bbcd80f12b_L.jpg" alt="Caio Bartine, coordenador tributário do Complexo Educacional Damásio de Jesus" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Brasil é um dos países onde mais se paga impostos e menos se recebe em contrapartida, de acordo com IBPT</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) divulgou, recentemente, estudo destacando que entre os 30 países que possuem a maior carga tributária, o Brasil é o lanterna quando o assunto é o retorno em serviços para a sociedade.</p> <p style="text-align: justify;">No ranking divulgado pelo instituto, a Irlanda é apontada como o país que mais tem retorno sobre o imposto pago, e uma carga de 23%, seguida pela Austrália (com arrecadação de 28%) e Suíça (29%). Com uma carga maior que muitos países desenvolvidos (35%), o Brasil só perde para Cuba entre as nações que mais pagam impostos na América Latina. Trata-se da 15ª carga tributária mais alta do mundo.</p> <p style="text-align: justify;">Com os avanços na discussão da Reforma Tributária, na Câmara e no Senado, vislumbra-se por parte do Governo um melhor aproveitamento de recursos e uma menor burocracia no país. Segundo o especialista e coordenador Tributário do Complexo Educacional Damásio de Jesus, Caio Bartine, a Reforma Tributária deverá simplificar o cumprimento de obrigações e, aos poucos, a diminuição da carga tributária. "Nesse momento, não creio na redução significativa de gastos".</p> <p style="text-align: justify;">O especialista reforça os problemas oriundos da burocracia tributária em nosso país. "De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nós gastamos 2.600 horas por ano para cumprimento de obrigações de natureza administrativa. O empresário brasileiro, além da alta carga tributária, fica travado nessa burocracia, impedindo a capacidade de investimento". Bartine conclui que que a simplificação de impostos deverá contribuir para aumentar contratações e geração de renda. "Há pontos a serem ajustados, mas a reforma precisa ocorrer".<br /> <br /> </p> <p style="text-align: justify;"><em><br /> <br /> </em></p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/e293e0749480c41a1cc8b9bbcd80f12b_L.jpg" alt="Caio Bartine, coordenador tributário do Complexo Educacional Damásio de Jesus" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Brasil é um dos países onde mais se paga impostos e menos se recebe em contrapartida, de acordo com IBPT</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) divulgou, recentemente, estudo destacando que entre os 30 países que possuem a maior carga tributária, o Brasil é o lanterna quando o assunto é o retorno em serviços para a sociedade.</p> <p style="text-align: justify;">No ranking divulgado pelo instituto, a Irlanda é apontada como o país que mais tem retorno sobre o imposto pago, e uma carga de 23%, seguida pela Austrália (com arrecadação de 28%) e Suíça (29%). Com uma carga maior que muitos países desenvolvidos (35%), o Brasil só perde para Cuba entre as nações que mais pagam impostos na América Latina. Trata-se da 15ª carga tributária mais alta do mundo.</p> <p style="text-align: justify;">Com os avanços na discussão da Reforma Tributária, na Câmara e no Senado, vislumbra-se por parte do Governo um melhor aproveitamento de recursos e uma menor burocracia no país. Segundo o especialista e coordenador Tributário do Complexo Educacional Damásio de Jesus, Caio Bartine, a Reforma Tributária deverá simplificar o cumprimento de obrigações e, aos poucos, a diminuição da carga tributária. "Nesse momento, não creio na redução significativa de gastos".</p> <p style="text-align: justify;">O especialista reforça os problemas oriundos da burocracia tributária em nosso país. "De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nós gastamos 2.600 horas por ano para cumprimento de obrigações de natureza administrativa. O empresário brasileiro, além da alta carga tributária, fica travado nessa burocracia, impedindo a capacidade de investimento". Bartine conclui que que a simplificação de impostos deverá contribuir para aumentar contratações e geração de renda. "Há pontos a serem ajustados, mas a reforma precisa ocorrer".<br /> <br /> </p> <p style="text-align: justify;"><em><br /> <br /> </em></p></div> Patrimônio das pessoas com alta renda diminuiu 3% em 2018 2019-07-10T00:00:00+00:00 2019-07-10T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6994-patrimonio-das-pessoas-com-alta-renda-diminuiu-3-em-2018 Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/33b5461297b045e11af9807754b39b7f_L.jpg" alt="Patrimônio das pessoas com alta renda diminuiu 3% em 2018" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>No Brasil, mesmo com a diminuição no patrimônio, o número de pessoas desse segmento cresceu 8% no ano, revela relatório publicado pela Capgemini</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;"> O estudo [http://www.worldwealthreport,com]World Wealth Report 2019 (WWR), publicado pela Capgemini, revela que após 7 anos de crescimento contínuo, o patrimônio total das pessoas com alta renda ou HNWIs (High Net Worth Individual) diminuiu 3% em 2018. O grupo de pessoas com, no mínimo, US$ 1 milhão de patrimônio sofreu perdas em grande parte devido a queda na riqueza na região da Ásia-Pacífico (especificamente na China), declínio que causou redução de US$ 2 trilhões em todo o mundo. O Brasil, também sentiu os reflexos dessas perdas, porém experimentou 8% no crescimento na população de alta renda, pulando de 171,5 mil pessoas para 185,5 mil, mesmo com o volume de riqueza caindo 3%.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Mesmo assim, as empresas de gestão de patrimônio mantiveram níveis estáveis <span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">de confiança e satisfação do cliente ao longo do ano, embora as melhores relações pessoais ainda sejam fundamentais para incrementar o desempenho das empresas, isto pode ser alcançado com a utilização efetiva de tecnologias de última geração.</span></span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">As principais conclusões do relatório incluem:</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Ásia-Pacífico lidera declínio da riqueza global, enquanto riqueza do Oriente Médio cresceu</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">A população e a riqueza dos HNWIs diminuíram 0,3% e 3%, respectivamente, com a Ásia-Pacífico sendo a região mais afetada. O declínio em valores naquela localidade chegou ao US$ 1 trilhão entre as pessoas de alta renda, com o número de indivíduos decrescendo em 2% a partir da queda no patrimônio de 5%. A China, sozinha, foi responsável por mais da metade (53%) das perdas na Ásia-Pacífico e mais de 25% da queda na riqueza global entre os HNWIs.</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Enquanto isso, a riqueza dos HNWIs diminuiu em quase todas as outras regiões: 4% na América Latina, 3% na Europa e 1% na América do Norte. No entanto, o Oriente Médio contrariou a tendência, gerando um crescimento de 4% no patrimônio dos HNWIs e aumentando a população de alta renda em 6% devido ao forte crescimento do PIB e desempenho do mercado financeiro. Similar ao ano anterior, os mercados com as maiores populações de HNWIs – Estados Unidos, Japão, Alemanha e China – representaram 61% do total da população global de indivíduos de alta renda.</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Ultra-HNWIs registram a maior perda financeira</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">O grupo dos ultra-HNWI diminuiu em 4% e o seu patrimônio despencou em cerca de 6%. Isso representou 75% da redução total da riqueza global no ano. Milionários intermediários (os HNWIs com algo entre US$ 5 milhões a US$ 30 milhões) representaram outros 20% do declínio total. E o segmento inicial, que representa HNWIs com valores entre US$ 1 milhão a US$ 5 milhões de riqueza (ou quase 90% da população das pessoas de alta renda) foi o menos afetado em 2018, já que sua riqueza caiu menos de 0,5%, significando que quase todos os declínios na riqueza e população de HNWI foram impulsionados pelos segmentos de maior riqueza – ultra-HNWI e pessoas no “nível intermediário”.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Dinheiro fica acima das ações como a maioria dos ativos</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">As alocações de ativos mudaram significativamente, com o dinheiro substituindo as ações para se tornar a classe de ativos mais representativa no primeiro trimestre de 2019, representando 28% da riqueza dos HNWIs, enquanto as ações “escorregaram” para a segunda posição com quase 26% – declínio de 5%. A condição volátil do mercado acionista estimulou ainda um ligeiro aumento na alocação dos investimentos chamados de alternativos em 13%, crescimento de 4% em relação ao ano anterior.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Níveis de confiança permanecem estáveis, mas os gerentes de fundos de riqueza precisam evoluir a experiência do cliente</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Apesar do declínio da riqueza, a confiança e a satisfação dos HNWIs nas empresas de gestão de patrimônio evoluiu 3% para cima em relação aos mais altos níveis já alcançados. No entanto, o relatório revelou uma oportunidade significativa para que os fundos de wealth (riqueza) abordem de forma proativa as crescentes expectativas dos indivíduos de alta renda. Afinal, uma experiência de serviço insatisfatória foi a maior razão para a troca de gestores de patrimônio em 2018.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong>Espera-se ainda que as BigTechs – gigantes de tecnologia como Ali Baba, Amazon, Apple, Google e Facebook – tornem-se um dos maiores desreguladores do segmento financeiro devido às suas capacidades digitais. Especialmente porque menos de 50% dos clientes, dentre os HNWIs, disseram estar satisfeitos com as atuais plataformas móveis e online e 85% demandaram uma maior interação digital ao acessar as informações do portfólio dos players. Ao mesmo tempo, apenas 62% dos HNWIs disseram estar confortáveis <span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">com as taxas do seu gestor de recursos, com muitos exigindo ofertas mais personalizadas e focadas em uma maior criação de valor.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong>Segundo o relatório, o investimento em tecnologias de última geração será fundamental para aprimorar a experiência do cliente. Embora seja um consenso entre os executivos dos fundos e gestores de patrimônio de que a Inteligência Artificial é um fator relevante de mudanças, apenas 5% das empresas pesquisadas disseram ter implementado estratégias de IA em todas as áreas centrais. Para apoiar o crescimento sustentável dentro deste ambiente disruptivo, os players devem perseguir estratégias para suprir as lacunas de valor dos gestores de patrimônio e clientes, redefinindo a estratégia de TI e alavancando o ecossistema integrado.</p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong><em>“</em>Embora o ambiente econômico volátil de 2018 tenha levado à queda global da riqueza dos HNWIs, os gestores de patrimônio foram extremamente bem-sucedidos em manter níveis fortes de confiança no cliente”<span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">, afirmou Anirban Bose, CEO da Unidade de Financial Services da Capgemini e membro do Conselho Executivo do Grupo. “No entanto, o sucesso futuro dependerá da agilidade das empresas de gestão de patrimônio para evoluir a experiência do cliente e encontrar novas maneiras de agregar valor por meio de serviços mais personalizados. A tecnologia de próxima geração e o gap nas expectativas ajudarão nisso, mas o cenário está mudando tão rapidamente que as empresas não devem ter medo de reformular sua estratégia e modelos de negócios, se necessário”.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong></p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/33b5461297b045e11af9807754b39b7f_L.jpg" alt="Patrimônio das pessoas com alta renda diminuiu 3% em 2018" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>No Brasil, mesmo com a diminuição no patrimônio, o número de pessoas desse segmento cresceu 8% no ano, revela relatório publicado pela Capgemini</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;"> O estudo [http://www.worldwealthreport,com]World Wealth Report 2019 (WWR), publicado pela Capgemini, revela que após 7 anos de crescimento contínuo, o patrimônio total das pessoas com alta renda ou HNWIs (High Net Worth Individual) diminuiu 3% em 2018. O grupo de pessoas com, no mínimo, US$ 1 milhão de patrimônio sofreu perdas em grande parte devido a queda na riqueza na região da Ásia-Pacífico (especificamente na China), declínio que causou redução de US$ 2 trilhões em todo o mundo. O Brasil, também sentiu os reflexos dessas perdas, porém experimentou 8% no crescimento na população de alta renda, pulando de 171,5 mil pessoas para 185,5 mil, mesmo com o volume de riqueza caindo 3%.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Mesmo assim, as empresas de gestão de patrimônio mantiveram níveis estáveis <span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">de confiança e satisfação do cliente ao longo do ano, embora as melhores relações pessoais ainda sejam fundamentais para incrementar o desempenho das empresas, isto pode ser alcançado com a utilização efetiva de tecnologias de última geração.</span></span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">As principais conclusões do relatório incluem:</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Ásia-Pacífico lidera declínio da riqueza global, enquanto riqueza do Oriente Médio cresceu</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">A população e a riqueza dos HNWIs diminuíram 0,3% e 3%, respectivamente, com a Ásia-Pacífico sendo a região mais afetada. O declínio em valores naquela localidade chegou ao US$ 1 trilhão entre as pessoas de alta renda, com o número de indivíduos decrescendo em 2% a partir da queda no patrimônio de 5%. A China, sozinha, foi responsável por mais da metade (53%) das perdas na Ásia-Pacífico e mais de 25% da queda na riqueza global entre os HNWIs.</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Enquanto isso, a riqueza dos HNWIs diminuiu em quase todas as outras regiões: 4% na América Latina, 3% na Europa e 1% na América do Norte. No entanto, o Oriente Médio contrariou a tendência, gerando um crescimento de 4% no patrimônio dos HNWIs e aumentando a população de alta renda em 6% devido ao forte crescimento do PIB e desempenho do mercado financeiro. Similar ao ano anterior, os mercados com as maiores populações de HNWIs – Estados Unidos, Japão, Alemanha e China – representaram 61% do total da população global de indivíduos de alta renda.</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Ultra-HNWIs registram a maior perda financeira</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">O grupo dos ultra-HNWI diminuiu em 4% e o seu patrimônio despencou em cerca de 6%. Isso representou 75% da redução total da riqueza global no ano. Milionários intermediários (os HNWIs com algo entre US$ 5 milhões a US$ 30 milhões) representaram outros 20% do declínio total. E o segmento inicial, que representa HNWIs com valores entre US$ 1 milhão a US$ 5 milhões de riqueza (ou quase 90% da população das pessoas de alta renda) foi o menos afetado em 2018, já que sua riqueza caiu menos de 0,5%, significando que quase todos os declínios na riqueza e população de HNWI foram impulsionados pelos segmentos de maior riqueza – ultra-HNWI e pessoas no “nível intermediário”.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Dinheiro fica acima das ações como a maioria dos ativos</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">As alocações de ativos mudaram significativamente, com o dinheiro substituindo as ações para se tornar a classe de ativos mais representativa no primeiro trimestre de 2019, representando 28% da riqueza dos HNWIs, enquanto as ações “escorregaram” para a segunda posição com quase 26% – declínio de 5%. A condição volátil do mercado acionista estimulou ainda um ligeiro aumento na alocação dos investimentos chamados de alternativos em 13%, crescimento de 4% em relação ao ano anterior.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> Níveis de confiança permanecem estáveis, mas os gerentes de fundos de riqueza precisam evoluir a experiência do cliente</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Apesar do declínio da riqueza, a confiança e a satisfação dos HNWIs nas empresas de gestão de patrimônio evoluiu 3% para cima em relação aos mais altos níveis já alcançados. No entanto, o relatório revelou uma oportunidade significativa para que os fundos de wealth (riqueza) abordem de forma proativa as crescentes expectativas dos indivíduos de alta renda. Afinal, uma experiência de serviço insatisfatória foi a maior razão para a troca de gestores de patrimônio em 2018.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong>Espera-se ainda que as BigTechs – gigantes de tecnologia como Ali Baba, Amazon, Apple, Google e Facebook – tornem-se um dos maiores desreguladores do segmento financeiro devido às suas capacidades digitais. Especialmente porque menos de 50% dos clientes, dentre os HNWIs, disseram estar satisfeitos com as atuais plataformas móveis e online e 85% demandaram uma maior interação digital ao acessar as informações do portfólio dos players. Ao mesmo tempo, apenas 62% dos HNWIs disseram estar confortáveis <span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">com as taxas do seu gestor de recursos, com muitos exigindo ofertas mais personalizadas e focadas em uma maior criação de valor.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong>Segundo o relatório, o investimento em tecnologias de última geração será fundamental para aprimorar a experiência do cliente. Embora seja um consenso entre os executivos dos fundos e gestores de patrimônio de que a Inteligência Artificial é um fator relevante de mudanças, apenas 5% das empresas pesquisadas disseram ter implementado estratégias de IA em todas as áreas centrais. Para apoiar o crescimento sustentável dentro deste ambiente disruptivo, os players devem perseguir estratégias para suprir as lacunas de valor dos gestores de patrimônio e clientes, redefinindo a estratégia de TI e alavancando o ecossistema integrado.</p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong><em>“</em>Embora o ambiente econômico volátil de 2018 tenha levado à queda global da riqueza dos HNWIs, os gestores de patrimônio foram extremamente bem-sucedidos em manter níveis fortes de confiança no cliente”<span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">, afirmou Anirban Bose, CEO da Unidade de Financial Services da Capgemini e membro do Conselho Executivo do Grupo. “No entanto, o sucesso futuro dependerá da agilidade das empresas de gestão de patrimônio para evoluir a experiência do cliente e encontrar novas maneiras de agregar valor por meio de serviços mais personalizados. A tecnologia de próxima geração e o gap nas expectativas ajudarão nisso, mas o cenário está mudando tão rapidamente que as empresas não devem ter medo de reformular sua estratégia e modelos de negócios, se necessário”.</span></p> <p style="text-align: justify;"><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span></strong></p></div> MEI Fácil bate 1 milhão de downloads de seu app 2019-06-28T00:00:00+00:00 2019-06-28T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6937-mei-facil-bate-1-milhao-de-downloads-de-seu-app Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/ae88fed3812ce9ff79f75a9aed12c5ec_L.jpg" alt="MEI Fácil bate 1 milhão de downloads de seu app" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Com a marca, mais microempreendedores têm acesso a facilidades como emitir uma nota fiscal, pagar mensalmente os impostos e acessar serviços financeiros simplificados e de baixo custo</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O número de microempreendedores individuais cresce junto com a procura por serviços financeiros e burocráticos sob demanda que representem soluções para seu negócio. É imerso nesse movimento que a MEI Fácil vem ganhando espaço e se consolidando como a maior empresa do País nesse segmento.</p> <p style="text-align: justify;">Esse espaço vem ganhando maior evidência com a procura pelos serviços da plataforma: no último mês, a MEI Fácil, plataforma de serviços financeiros para o micro e pequeno empreendedor, bateu a marca de 1 milhão de downloads em seu app. Com a marca, mais microempreendedores têm acesso a facilidades como emitir uma nota fiscal, pagar mensalmente os impostos e acessar serviços financeiros simplificados e de baixo custo.</p> <p style="text-align: justify;">"Mais do que ver a MEI Fácil crescendo, é importante para nós observar como os pequenos empreendedores têm se preocupado com seu negócio e apostado na chance de crescer. Nosso grande objetivo é ajudá-los a alçarem voos cada vez mais altos", afirma Rodrigo Salem, sócio-fundador da MEI Fácil.</p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/ae88fed3812ce9ff79f75a9aed12c5ec_L.jpg" alt="MEI Fácil bate 1 milhão de downloads de seu app" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Com a marca, mais microempreendedores têm acesso a facilidades como emitir uma nota fiscal, pagar mensalmente os impostos e acessar serviços financeiros simplificados e de baixo custo</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O número de microempreendedores individuais cresce junto com a procura por serviços financeiros e burocráticos sob demanda que representem soluções para seu negócio. É imerso nesse movimento que a MEI Fácil vem ganhando espaço e se consolidando como a maior empresa do País nesse segmento.</p> <p style="text-align: justify;">Esse espaço vem ganhando maior evidência com a procura pelos serviços da plataforma: no último mês, a MEI Fácil, plataforma de serviços financeiros para o micro e pequeno empreendedor, bateu a marca de 1 milhão de downloads em seu app. Com a marca, mais microempreendedores têm acesso a facilidades como emitir uma nota fiscal, pagar mensalmente os impostos e acessar serviços financeiros simplificados e de baixo custo.</p> <p style="text-align: justify;">"Mais do que ver a MEI Fácil crescendo, é importante para nós observar como os pequenos empreendedores têm se preocupado com seu negócio e apostado na chance de crescer. Nosso grande objetivo é ajudá-los a alçarem voos cada vez mais altos", afirma Rodrigo Salem, sócio-fundador da MEI Fácil.</p></div> Redlions Capital investe R$ 20 milhões e lança a BTX Digital 2019-06-27T00:00:00+00:00 2019-06-27T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6928-redlions-capital-investe-r-20-milhoes-e-lanca-a-btx-digital Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/b075619aa64b25d793f1ac9a14626b8d_L.jpg" alt="Redlions Capital investe R$ 20 milhões e lança a BTX Digital" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Plataforma pioneira de serviços financeiros chega ao mercado com centenas de funções para que empresários rentabilizem toda sua cadeia de negócios</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Desde os primórdios, 6% da sinergia da receita financeira de empresas são deixadas para os bancos. Além disso, para ser considerado realmente um banco, é preciso ter muito capital investido - garantias que chegam a mais de 30 milhões -, sendo uma enorme barreira para a entrada de qualquer empresário que queira aproveitar esse percentual. Com a chegada das Fintechs, em 2013, o mercado começou a se remodelar e as operações bancárias começaram a ser realizadas sem precisar de instituições financeiras. Sempre atento à movimentação do cenário, o fundo <a href="https://ymabixeaweslexeletitile.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGcmVkbGlvbnMuY2FwaXRhbCUyRjoxODcwNTQ1ODY1OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206NmQ4MTZm">RedLions Capital</a> investe 20 milhões e lança a <a href="https://ymabixeaweslexeletitile.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmJ0eC5kaWdpdGFsJTJGOjE4NzA1NDU4NjU6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbToxODFjNWM=">BTX Digital</a> - plataforma completa e integrada para atender empresas que querem criar novas fontes de receita, sem precisar de todo o conhecimento bancário.</p> <p style="text-align: justify;">Trata de uma empresa especializada em criação de bancos digitais para negócios com faturamento acima de 100 milhões por ano, que conta com um Fundo de Investimento por trás com ativos superiores a 2 bilhões e os melhores profissionais do mercado. "A RedLions Capital fez um investimento de 20 milhões, sendo 10 milhões para a criação da plataforma com a Hubchain Technologies - empresa referência em Banktech - e vai chegar a mais 10 milhões até 2020", revela Fernando Oliveira, co-CEO da BTX Digital. "Nós financiamos a entrada desses bancos no mercado e damos o funding", explica Oliveira.</p> <p style="text-align: justify;">O setor bancário no Brasil é muito oneroso para empresários e correntistas, que chegam a deixar até 20% dos rendimentos para bancos. Com a popularização dos Digital Banks, um montante ainda pequeno de usuários começou a aproveitar de vantagens tarifárias, adiantamentos, entre diversos outros serviços. Segundo Rafael Pimenta, co-CEO da BTX Digital, esse percentual chamou a sua atenção e, juntamente com o seu sócio, decidiram criar bancos digitais com novas fontes de receita e dividir o spread e taxas com os donos de empresas. "A plataforma garante que toda a operação, administração, setor jurídico, contábil e marketing estejam sob nossa responsabilidade, ou seja, entregamos um produto para clientes que não têm conhecimento sobre a gestão e funcionalidades destes sistemas digitais, mas que podem implementá-los sem maiores dificuldades", completa Pimenta. Com o melhor sistema e uma equipe altamente qualificada, a BTX Digital consegue finalizar e entregar o banco em até quinze dias - dependendo do projeto solicitado.</p> <p style="text-align: justify;">Dentre os serviços financeiros oferecidos pelo Digital Bank estão programas de recompensa e fidelidade, gateway de pagamento, marketplace, soluções financeiras, intranet, extranet, canais e parcerias, entre outros. Além disso, conta com a opção de aplicativos iOS, Android e WindowsPhone; e equipamentos como cartão magnético, ATM 24 horas, POS, Displays e muito mais. "Acho importante reforçar os benefícios que oferecemos aos nossos clientes e um deles é, sem dúvida, a antecipação de cartões, que as instituições financeiras tradicionais cobram taxas altíssimas e, através da BTX Digital e toda a estrutura de FIDC própria, podemos oferecer as melhores taxas do mercado, que podem chegar a menos 1% de taxa de antecipação", destaca ainda Fernando Oliveira.</p> <p style="text-align: justify;">A seleção dos clientes acontece de maneira totalmente analítica, primeiramente a BTX Digital realiza uma pesquisa do volume real da empresa e, caso o financeiro aprove a viabilidade, inicia-se a abertura de uma nova empresa em sociedade com ambas as partes. Desta forma, um ficará responsável por operacionalizar e o outro cuidará da capilarização dos produtos</p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/b075619aa64b25d793f1ac9a14626b8d_L.jpg" alt="Redlions Capital investe R$ 20 milhões e lança a BTX Digital" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Plataforma pioneira de serviços financeiros chega ao mercado com centenas de funções para que empresários rentabilizem toda sua cadeia de negócios</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Desde os primórdios, 6% da sinergia da receita financeira de empresas são deixadas para os bancos. Além disso, para ser considerado realmente um banco, é preciso ter muito capital investido - garantias que chegam a mais de 30 milhões -, sendo uma enorme barreira para a entrada de qualquer empresário que queira aproveitar esse percentual. Com a chegada das Fintechs, em 2013, o mercado começou a se remodelar e as operações bancárias começaram a ser realizadas sem precisar de instituições financeiras. Sempre atento à movimentação do cenário, o fundo <a href="https://ymabixeaweslexeletitile.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGcmVkbGlvbnMuY2FwaXRhbCUyRjoxODcwNTQ1ODY1OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206NmQ4MTZm">RedLions Capital</a> investe 20 milhões e lança a <a href="https://ymabixeaweslexeletitile.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmJ0eC5kaWdpdGFsJTJGOjE4NzA1NDU4NjU6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbToxODFjNWM=">BTX Digital</a> - plataforma completa e integrada para atender empresas que querem criar novas fontes de receita, sem precisar de todo o conhecimento bancário.</p> <p style="text-align: justify;">Trata de uma empresa especializada em criação de bancos digitais para negócios com faturamento acima de 100 milhões por ano, que conta com um Fundo de Investimento por trás com ativos superiores a 2 bilhões e os melhores profissionais do mercado. "A RedLions Capital fez um investimento de 20 milhões, sendo 10 milhões para a criação da plataforma com a Hubchain Technologies - empresa referência em Banktech - e vai chegar a mais 10 milhões até 2020", revela Fernando Oliveira, co-CEO da BTX Digital. "Nós financiamos a entrada desses bancos no mercado e damos o funding", explica Oliveira.</p> <p style="text-align: justify;">O setor bancário no Brasil é muito oneroso para empresários e correntistas, que chegam a deixar até 20% dos rendimentos para bancos. Com a popularização dos Digital Banks, um montante ainda pequeno de usuários começou a aproveitar de vantagens tarifárias, adiantamentos, entre diversos outros serviços. Segundo Rafael Pimenta, co-CEO da BTX Digital, esse percentual chamou a sua atenção e, juntamente com o seu sócio, decidiram criar bancos digitais com novas fontes de receita e dividir o spread e taxas com os donos de empresas. "A plataforma garante que toda a operação, administração, setor jurídico, contábil e marketing estejam sob nossa responsabilidade, ou seja, entregamos um produto para clientes que não têm conhecimento sobre a gestão e funcionalidades destes sistemas digitais, mas que podem implementá-los sem maiores dificuldades", completa Pimenta. Com o melhor sistema e uma equipe altamente qualificada, a BTX Digital consegue finalizar e entregar o banco em até quinze dias - dependendo do projeto solicitado.</p> <p style="text-align: justify;">Dentre os serviços financeiros oferecidos pelo Digital Bank estão programas de recompensa e fidelidade, gateway de pagamento, marketplace, soluções financeiras, intranet, extranet, canais e parcerias, entre outros. Além disso, conta com a opção de aplicativos iOS, Android e WindowsPhone; e equipamentos como cartão magnético, ATM 24 horas, POS, Displays e muito mais. "Acho importante reforçar os benefícios que oferecemos aos nossos clientes e um deles é, sem dúvida, a antecipação de cartões, que as instituições financeiras tradicionais cobram taxas altíssimas e, através da BTX Digital e toda a estrutura de FIDC própria, podemos oferecer as melhores taxas do mercado, que podem chegar a menos 1% de taxa de antecipação", destaca ainda Fernando Oliveira.</p> <p style="text-align: justify;">A seleção dos clientes acontece de maneira totalmente analítica, primeiramente a BTX Digital realiza uma pesquisa do volume real da empresa e, caso o financeiro aprove a viabilidade, inicia-se a abertura de uma nova empresa em sociedade com ambas as partes. Desta forma, um ficará responsável por operacionalizar e o outro cuidará da capilarização dos produtos</p></div> Red Ventures lança startup Azulis com foco em pequenas empresas 2019-06-19T00:00:00+00:00 2019-06-19T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6882-red-ventures-lanca-startup-azulis-com-foco-em-pequenas-empresas Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/865a1a018758102d7aac223cf360dd70_L.jpg" alt="Red Ventures lança startup Azulis com foco em pequenas empresas" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Nova plataforma digital do grupo oferece ferramentas, serviços gratuitos para ajudar MEIs e PMEs na gestão do dia a dia e a faturar mais</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">A <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkY6MzA1OTU0Mjc2NjppY3Jpc3RvbmlAZ21haWwuY29tOmI5YjFjMg==">Azulis</a> (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkY6MzA1OTU0Mjc2NjppY3Jpc3RvbmlAZ21haWwuY29tOmI5YjFjMg==">www.azulis.com.br/</a>), startup lançada pela <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LnJlZHZlbnR1cmVzLmNvbSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206NTdjNjM1">Red Ventures</a> no Brasil, é uma plataforma de ferramentas e serviços gratuito para ajudar MEIs e PMEs na gestão financeira e burocrática dos seus negócios.</p> <p style="text-align: justify;">"A Azulis nasceu com o propósito de ajudar os donos de negócios a vender mais", afirma Antonio Rocha, cofundador da Azulis. "Nossa plataforma reúne ferramentas gratuitas, e serviços criados para ajudar o pequeno e médio empreendedor a aumentar o seu faturamento", completa.</p> <p style="text-align: justify;">Segundo o levantamento realizado pela startup, os principais desafios dos brasileiros que possuem um negócio próprio são: falta de controle de suas finanças e fluxo de caixa, dificuldades de cobrança, excesso de burocracia e falta de tempo e conhecimento. "Com uma interface simples, nossa plataforma visa resolver todos esses problemas e ajudar o dono de negócio a faturar ainda mais", reforça Rocha.</p> <p style="text-align: justify;">Entre os principais serviços oferecidos pela Azulis estão:</p> <ol style="text-align: justify;"> <li><a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">Comparador de Maquininhas de Cartão de Crédito</a> com preços, taxas e promoções sempre atualizados (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">www.azulis.com.br/comparador-de-maquininhas/</a>)</li> <li>Gestão de Cobrança: <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZtZSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206MTliZWU0">ferramenta de emissão de boletos</a> e gestão de pagamentos (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZtZSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206MTliZWU0">www.azulis.com.br/me/</a>)</li> <li>Para os MEIs: lembretes e emissão do pagamento do <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZsZW1icmV0ZS1kYXMtbWVpJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTpiYzM0MDM=">imposto mensal DAS</a> (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) e consulta de pagamentos anteriores; (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZsZW1icmV0ZS1kYXMtbWVpJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTpiYzM0MDM=">www.azulis.com.br/lembrete-das-mei/</a>)</li> </ol> <p style="text-align: justify;"><br /> O <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">Comparador de Maquininhas de Cartão de Crédito</a> foi a primeira ferramenta lançada pela startup e é uma ferramenta pioneira no Brasil. "Todo mundo já ouviu falar da guerra das maquininhas – com a entrada de novas empresas no mercado e número crescente de ofertas. Em nossa ferramenta, o empreendedor encontra todas as maquininhas com preços e taxas atualizadas e as principais promoções do mercado, tudo em um único lugar", explica Rocha. Através de parcerias com as empresas de maquininhas, a Azulis também consegue descontos exclusivos. "Acreditamos que temos hoje a melhor fonte de referência para quem precisa comprar a primeira maquininha ou trocar a sua por uma melhor, mais moderna ou com menores taxas", completa Rocha.</p> <p style="text-align: justify;">A Azulis também lançou a ferramenta de Gestão de Cobranças. Através dela, o dono de negócio consegue emitir boletos para seus clientes com o preço de R$2,45 por boleto liquidado, preço extremamente competitivo quando comparado ao restante do mercado. Outro diferencial da ferramenta é que o dono de negócio é cobrado apenas quando o seu cliente efetuar o pagamento, ou seja, na liquidação do boleto.</p> <p style="text-align: justify;">Como próximos passos, a empresa está desenvolvendo um Radar de Pendências de Empresas. Por meio dele, o dono de negócio consegue acompanhar pendências na Receita Federal e outros órgãos.<br /> <br /> </p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/865a1a018758102d7aac223cf360dd70_L.jpg" alt="Red Ventures lança startup Azulis com foco em pequenas empresas" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Nova plataforma digital do grupo oferece ferramentas, serviços gratuitos para ajudar MEIs e PMEs na gestão do dia a dia e a faturar mais</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">A <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkY6MzA1OTU0Mjc2NjppY3Jpc3RvbmlAZ21haWwuY29tOmI5YjFjMg==">Azulis</a> (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkY6MzA1OTU0Mjc2NjppY3Jpc3RvbmlAZ21haWwuY29tOmI5YjFjMg==">www.azulis.com.br/</a>), startup lançada pela <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LnJlZHZlbnR1cmVzLmNvbSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206NTdjNjM1">Red Ventures</a> no Brasil, é uma plataforma de ferramentas e serviços gratuito para ajudar MEIs e PMEs na gestão financeira e burocrática dos seus negócios.</p> <p style="text-align: justify;">"A Azulis nasceu com o propósito de ajudar os donos de negócios a vender mais", afirma Antonio Rocha, cofundador da Azulis. "Nossa plataforma reúne ferramentas gratuitas, e serviços criados para ajudar o pequeno e médio empreendedor a aumentar o seu faturamento", completa.</p> <p style="text-align: justify;">Segundo o levantamento realizado pela startup, os principais desafios dos brasileiros que possuem um negócio próprio são: falta de controle de suas finanças e fluxo de caixa, dificuldades de cobrança, excesso de burocracia e falta de tempo e conhecimento. "Com uma interface simples, nossa plataforma visa resolver todos esses problemas e ajudar o dono de negócio a faturar ainda mais", reforça Rocha.</p> <p style="text-align: justify;">Entre os principais serviços oferecidos pela Azulis estão:</p> <ol style="text-align: justify;"> <li><a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">Comparador de Maquininhas de Cartão de Crédito</a> com preços, taxas e promoções sempre atualizados (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">www.azulis.com.br/comparador-de-maquininhas/</a>)</li> <li>Gestão de Cobrança: <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZtZSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206MTliZWU0">ferramenta de emissão de boletos</a> e gestão de pagamentos (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZtZSUyRjozMDU5NTQyNzY2OmljcmlzdG9uaUBnbWFpbC5jb206MTliZWU0">www.azulis.com.br/me/</a>)</li> <li>Para os MEIs: lembretes e emissão do pagamento do <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZsZW1icmV0ZS1kYXMtbWVpJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTpiYzM0MDM=">imposto mensal DAS</a> (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) e consulta de pagamentos anteriores; (<a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZsZW1icmV0ZS1kYXMtbWVpJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTpiYzM0MDM=">www.azulis.com.br/lembrete-das-mei/</a>)</li> </ol> <p style="text-align: justify;"><br /> O <a href="https://ymabixeawrequmarizaanxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwJTNBJTJGJTJGd3d3LmF6dWxpcy5jb20uYnIlMkZjb21wYXJhZG9yLWRlLW1hcXVpbmluaGFzJTJGOjMwNTk1NDI3NjY6aWNyaXN0b25pQGdtYWlsLmNvbTphZmUwNTM=">Comparador de Maquininhas de Cartão de Crédito</a> foi a primeira ferramenta lançada pela startup e é uma ferramenta pioneira no Brasil. "Todo mundo já ouviu falar da guerra das maquininhas – com a entrada de novas empresas no mercado e número crescente de ofertas. Em nossa ferramenta, o empreendedor encontra todas as maquininhas com preços e taxas atualizadas e as principais promoções do mercado, tudo em um único lugar", explica Rocha. Através de parcerias com as empresas de maquininhas, a Azulis também consegue descontos exclusivos. "Acreditamos que temos hoje a melhor fonte de referência para quem precisa comprar a primeira maquininha ou trocar a sua por uma melhor, mais moderna ou com menores taxas", completa Rocha.</p> <p style="text-align: justify;">A Azulis também lançou a ferramenta de Gestão de Cobranças. Através dela, o dono de negócio consegue emitir boletos para seus clientes com o preço de R$2,45 por boleto liquidado, preço extremamente competitivo quando comparado ao restante do mercado. Outro diferencial da ferramenta é que o dono de negócio é cobrado apenas quando o seu cliente efetuar o pagamento, ou seja, na liquidação do boleto.</p> <p style="text-align: justify;">Como próximos passos, a empresa está desenvolvendo um Radar de Pendências de Empresas. Por meio dele, o dono de negócio consegue acompanhar pendências na Receita Federal e outros órgãos.<br /> <br /> </p></div> Startup americana chega ao Brasil com serviços financeiros móveis 2019-06-18T00:00:00+00:00 2019-06-18T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6877-startup-americana-chega-ao-brasil-com-servicos-financeiros-moveis Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/a2b47ea0f1135e718f7738f520459577_L.jpg" alt="Startup americana chega ao Brasil com serviços financeiros móveis" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>AirFox entra no mercado oferecendo soluções bancárias por meio de aplicativo construído na tecnologia blockchain</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Recém-chegada no Brasil, a startup americana AirFox, com sede em Boston (EUA), trouxe mais uma alternativa aos serviços bancários oferecidos pelas instituições brasileiras. Em parceria com a Via Varejo, lançaram o banco digital banQi, que conta com um modelo avançado de operações financeiras virtuais por meio da terceirização da CSU.Contact, divisão da CSU especializada na prestação de serviços de atendimento ao consumidor.</p> <p style="text-align: justify;">Com a pretensão de originar clientes e oferecer serviços de pagamento valendo-se da capilaridade nacional das aproximadamente 750 lojas Casas Bahia, a AirFox tem o objetivo de atingir o público não bancarizado, disponibilizando uma carteira virtual que possibilita depósito de cédulas, administração financeira pessoal, pagamentos em QR code, recarga de celulares, transferências, além de carnês e boletos digitalizados.</p> <p style="text-align: justify;">"Com o projeto para a central de atendimento aos clientes banQi, por intermédio de chat para o produto financeiro digital, a <em>startup</em> escolheu a CSU.Contact para complementar o processo de expansão e diversificação da jornada do cliente em todo o atendimento, contando com a nossa excelência para o crescimento da empresa e de suas operações", afirma Daniel Moretto, diretor comercial da Divisão da CSU.</p> <p style="text-align: justify;">Com uma plataforma construída na tecnologia blockchain, a Airfox proporcionará aos brasileiros uma gama de soluções financeiras, prometendo eficiência e economia, tonando como única exigência aos clientes possuir um smartphone.</p> <p style="text-align: justify;">Nas lojas Casas Bahia, estarão disponíveis promotores para divulgar a marca e o aplicativo até novembro deste ano. No início, os saques serão feitos nas próprias lojas. Após alguns meses operando com os clientes da base das Casas Bahia, a Airfox abrirá o mesmo projeto para as lojas do Ponto Frio em todo o país.</p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/a2b47ea0f1135e718f7738f520459577_L.jpg" alt="Startup americana chega ao Brasil com serviços financeiros móveis" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>AirFox entra no mercado oferecendo soluções bancárias por meio de aplicativo construído na tecnologia blockchain</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Recém-chegada no Brasil, a startup americana AirFox, com sede em Boston (EUA), trouxe mais uma alternativa aos serviços bancários oferecidos pelas instituições brasileiras. Em parceria com a Via Varejo, lançaram o banco digital banQi, que conta com um modelo avançado de operações financeiras virtuais por meio da terceirização da CSU.Contact, divisão da CSU especializada na prestação de serviços de atendimento ao consumidor.</p> <p style="text-align: justify;">Com a pretensão de originar clientes e oferecer serviços de pagamento valendo-se da capilaridade nacional das aproximadamente 750 lojas Casas Bahia, a AirFox tem o objetivo de atingir o público não bancarizado, disponibilizando uma carteira virtual que possibilita depósito de cédulas, administração financeira pessoal, pagamentos em QR code, recarga de celulares, transferências, além de carnês e boletos digitalizados.</p> <p style="text-align: justify;">"Com o projeto para a central de atendimento aos clientes banQi, por intermédio de chat para o produto financeiro digital, a <em>startup</em> escolheu a CSU.Contact para complementar o processo de expansão e diversificação da jornada do cliente em todo o atendimento, contando com a nossa excelência para o crescimento da empresa e de suas operações", afirma Daniel Moretto, diretor comercial da Divisão da CSU.</p> <p style="text-align: justify;">Com uma plataforma construída na tecnologia blockchain, a Airfox proporcionará aos brasileiros uma gama de soluções financeiras, prometendo eficiência e economia, tonando como única exigência aos clientes possuir um smartphone.</p> <p style="text-align: justify;">Nas lojas Casas Bahia, estarão disponíveis promotores para divulgar a marca e o aplicativo até novembro deste ano. No início, os saques serão feitos nas próprias lojas. Após alguns meses operando com os clientes da base das Casas Bahia, a Airfox abrirá o mesmo projeto para as lojas do Ponto Frio em todo o país.</p></div> Prêmio patrocinado pela KPMG recebe inscrições até o dia 28/6 2019-06-15T00:00:00+00:00 2019-06-15T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6862-premio-patrocinado-pela-kpmg-recebe-inscricoes-ate-o-dia-28-6 Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/3ac0956efa98c80b2a63d46b0e7bc377_L.jpg" alt="Prêmio patrocinado pela KPMG recebe inscrições até o dia 28/6" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>O vencedor será contemplado com vários prêmios que, somados, se aproximam dos R$ 100 mil</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças de São Paulo (IBEF SP) está recebendo inscrições, até o dia 28/6, para a nova edição do tradicional Prêmio Revelação. A iniciativa, patrocinada pela KPMG, reconhece talentos profissionais que se destacam por apresentar perfil empreendedor, postura de liderança ou adoção de técnicas inovadoras de administração. O vencedor será contemplado com vários prêmios que, somados, se aproximam dos R$ 100 mil.</p> <p style="text-align: justify;"> “Nosso objetivo é valorizar o profissional que comprovar uma inovação já implementada na execução das suas funções ou uma solução criativa em finanças. Queremos valorizar aqueles que contribuem para desenvolver e aperfeiçoar essa área em nosso País pois acreditamos no reconhecimento como uma poderosa forma de incentivar as melhores práticas no ambiente de negócios”, afirma Charles Krieck, presidente da KPMG no Brasil.</p> <p style="text-align: justify;">Estão aptos a concorrer profissionais da área financeira que atendam, cumulativamente, aos seguintes requisitos: atuem com finanças em empresas privadas ou públicas, órgãos da administração pública, organizações não governamentais ou instituições educacionais; tenham até 35 anos de idade completados até 31 de outubro de 2019; sejam graduados em curso superior há mais de um ano.</p> <p style="text-align: justify;"> As inscrições devem ser feitas no link <a href="https://nam03.safelinks.protection.outlook.com/?url=http%3A%2F%2Fpremiorevelacao.ibef.net.br&amp;data=02%7C01%7Clcerresi%40grsa.com.br%7C7d395eea035741fa267e08d6e9cecee7%7Ccd62b7dd4b4844bd90e7e143a22c8ead%7C0%7C0%7C636953471798724373&amp;sdata=aiO8pU3GS6nsNjq7ANLlLLsJ2UxJ1so4Awlj5S7oPpo%3D&amp;reserved=0">http://premiorevelacao.ibef.net.br</a>, mesmo endereço que reúne mais informações sobre como deve ser feito o envio dos trabalhos que descrevam a inovação realizada na área de finanças, com aplicabilidade prática comprovada. Todos os participantes que enviarem trabalhos válidos receberão um certificado de participação.</p> <p style="text-align: justify;"> A banca examinadora do prêmio será composta por diretores financeiros (CFOs) de empresas líderes em vários segmentos de atuação, membros das principais instituições acadêmicas em finanças com atuação no Brasil e vencedores de edições anteriores. Os conteúdos serão avaliados a partir dos seguintes critérios: autenticidade; inovação e criatividade; mensuração; e resultado prático comprovado.</p> <p style="text-align: justify;"> “Nosso prêmio chega à 16ª edição, sempre colocando em evidência trabalhos inovadores e reconhecendo o valor de jovens talentos dos ambientes corporativos e acadêmicos. O propósito é promover uma ampla exposição dos trabalhos inscritos, o que pode ser um diferencial importante para o desenvolvimento profissional dos participantes”, afirma Luis Carlos Cerresi, membro da Diretoria Executiva do IBEF SP.</p> <p style="text-align: justify;"> Após o encerramento do prazo de inscrições, os candidatos devem estar atentos às próximas etapas: envio dos trabalhos (até 15/7); consolidação das notas e comunicação aos finalistas (23/9); apresentação dos trabalhos em almoço com os semifinalistas (7/10), em São Paulo; almoço de premiação (4/11), em São Paulo (SP). Em 15 edições já realizadas, o IBEF SP, com apoio da KPMG, entre outros apoiadores, já premiou 52 jovens executivos, valorizou 39 trabalhos vencedores e concedeu mais de R$ 1 milhão em prêmios.</p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/3ac0956efa98c80b2a63d46b0e7bc377_L.jpg" alt="Prêmio patrocinado pela KPMG recebe inscrições até o dia 28/6" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>O vencedor será contemplado com vários prêmios que, somados, se aproximam dos R$ 100 mil</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">O Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças de São Paulo (IBEF SP) está recebendo inscrições, até o dia 28/6, para a nova edição do tradicional Prêmio Revelação. A iniciativa, patrocinada pela KPMG, reconhece talentos profissionais que se destacam por apresentar perfil empreendedor, postura de liderança ou adoção de técnicas inovadoras de administração. O vencedor será contemplado com vários prêmios que, somados, se aproximam dos R$ 100 mil.</p> <p style="text-align: justify;"> “Nosso objetivo é valorizar o profissional que comprovar uma inovação já implementada na execução das suas funções ou uma solução criativa em finanças. Queremos valorizar aqueles que contribuem para desenvolver e aperfeiçoar essa área em nosso País pois acreditamos no reconhecimento como uma poderosa forma de incentivar as melhores práticas no ambiente de negócios”, afirma Charles Krieck, presidente da KPMG no Brasil.</p> <p style="text-align: justify;">Estão aptos a concorrer profissionais da área financeira que atendam, cumulativamente, aos seguintes requisitos: atuem com finanças em empresas privadas ou públicas, órgãos da administração pública, organizações não governamentais ou instituições educacionais; tenham até 35 anos de idade completados até 31 de outubro de 2019; sejam graduados em curso superior há mais de um ano.</p> <p style="text-align: justify;"> As inscrições devem ser feitas no link <a href="https://nam03.safelinks.protection.outlook.com/?url=http%3A%2F%2Fpremiorevelacao.ibef.net.br&amp;data=02%7C01%7Clcerresi%40grsa.com.br%7C7d395eea035741fa267e08d6e9cecee7%7Ccd62b7dd4b4844bd90e7e143a22c8ead%7C0%7C0%7C636953471798724373&amp;sdata=aiO8pU3GS6nsNjq7ANLlLLsJ2UxJ1so4Awlj5S7oPpo%3D&amp;reserved=0">http://premiorevelacao.ibef.net.br</a>, mesmo endereço que reúne mais informações sobre como deve ser feito o envio dos trabalhos que descrevam a inovação realizada na área de finanças, com aplicabilidade prática comprovada. Todos os participantes que enviarem trabalhos válidos receberão um certificado de participação.</p> <p style="text-align: justify;"> A banca examinadora do prêmio será composta por diretores financeiros (CFOs) de empresas líderes em vários segmentos de atuação, membros das principais instituições acadêmicas em finanças com atuação no Brasil e vencedores de edições anteriores. Os conteúdos serão avaliados a partir dos seguintes critérios: autenticidade; inovação e criatividade; mensuração; e resultado prático comprovado.</p> <p style="text-align: justify;"> “Nosso prêmio chega à 16ª edição, sempre colocando em evidência trabalhos inovadores e reconhecendo o valor de jovens talentos dos ambientes corporativos e acadêmicos. O propósito é promover uma ampla exposição dos trabalhos inscritos, o que pode ser um diferencial importante para o desenvolvimento profissional dos participantes”, afirma Luis Carlos Cerresi, membro da Diretoria Executiva do IBEF SP.</p> <p style="text-align: justify;"> Após o encerramento do prazo de inscrições, os candidatos devem estar atentos às próximas etapas: envio dos trabalhos (até 15/7); consolidação das notas e comunicação aos finalistas (23/9); apresentação dos trabalhos em almoço com os semifinalistas (7/10), em São Paulo; almoço de premiação (4/11), em São Paulo (SP). Em 15 edições já realizadas, o IBEF SP, com apoio da KPMG, entre outros apoiadores, já premiou 52 jovens executivos, valorizou 39 trabalhos vencedores e concedeu mais de R$ 1 milhão em prêmios.</p></div> BMG e Atlético lançam o Banco Digital da Massa Atleticana 2019-06-14T00:00:00+00:00 2019-06-14T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6847-bmg-e-atletico-lancam-o-banco-digital-da-massa-atleticana Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/30cc0bbf8683ce7aeff635fe17489830_L.jpg" alt="BMG e Atlético lançam o Banco Digital da Massa Atleticana" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Meu Galo BMG é resultado da união de dois gigantes mineiros e terá conta corrente digital 100% gratuita</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">#OsMaioresDeMinas, o Banco BMG e o Clube Atlético Mineiro se uniram para marcar a história mineira mais uma vez, com o lançamento do Meu Galo BMG. Voltado especialmente para a Massa Atleticana, o banco digital concede à torcida uma conta corrente totalmente gratuita e a possibilidade de contribuir diretamente com a rentabilidade do Clube, a partir das movimentações bancárias usuais.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>“Estamos orgulhosos em proporcionar ao Atlético as vantagens de uma parceria tão inovadora no mercado esportivo brasileiro. Nosso apoio e laços remetem a longa data, agora damos um passo à frente do tradicional patrocínio máster à camisa e disponibilizamos a oportunidade de geração de receita contínua ao Time”, comemora Márcio Alaor, vice-presidente do Banco BMG.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>Na prática, tudo o que o torcedor já faz com os outros bancos, ao migrar para o BMG e utilizar a conta digital Meu Galo BMG, irá rentabilizar seu time diretamente. Além disso, o Atlético receberá R$ 10 do Banco BMG para cada conta aberta que contenha um saldo mínimo de R$100 e acompanhada de uma operação financeira com o cartão de débito ou crédito.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>“O Banco BMG é um parceiro fiel do Atlético e está sempre presente nos grandes momentos da vida do clube. O Meu Galo BMG irá agradar muito ao torcedor atleticano pelo design personalizado do aplicativo, facilidades oferecidas e possibilidade de ajudar o Galo a ser cada vez mais forte”, comenta o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Os torcedores que baixarem o aplicativo Meu Galo BMG, sem custos, nas lojas virtuais dos sistemas Android e iOS, ou diretamente no site </span><a href="http://www.meugalobmg.com.br/" data-auth="NotApplicable"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">www.meugalobmg.com.br</span></a><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">, terão diversas vantagens. São elas: cartão personalizado do Clube, conta 100% online sem tarifas, cartão de crédito sem anuidade, transferências gratuitas, saques ilimitados no Banco 24h e pacote de benefícios para ajudar ainda mais o Atlético!</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Voz aos torcedores</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>Em celebração à chegada do Meu Galo BMG, o Banco BMG se uniu ao Torcedores.com para a criação de uma plataforma de conteúdos exclusivos do Atlético. Nele, a torcida alvinegra poderá produzir matérias e colaborar com notícias e opiniões sobre seu time do coração, informando e entretendo os interessados no assunto.</p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/30cc0bbf8683ce7aeff635fe17489830_L.jpg" alt="BMG e Atlético lançam o Banco Digital da Massa Atleticana" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p>Meu Galo BMG é resultado da união de dois gigantes mineiros e terá conta corrente digital 100% gratuita</p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">#OsMaioresDeMinas, o Banco BMG e o Clube Atlético Mineiro se uniram para marcar a história mineira mais uma vez, com o lançamento do Meu Galo BMG. Voltado especialmente para a Massa Atleticana, o banco digital concede à torcida uma conta corrente totalmente gratuita e a possibilidade de contribuir diretamente com a rentabilidade do Clube, a partir das movimentações bancárias usuais.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>“Estamos orgulhosos em proporcionar ao Atlético as vantagens de uma parceria tão inovadora no mercado esportivo brasileiro. Nosso apoio e laços remetem a longa data, agora damos um passo à frente do tradicional patrocínio máster à camisa e disponibilizamos a oportunidade de geração de receita contínua ao Time”, comemora Márcio Alaor, vice-presidente do Banco BMG.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>Na prática, tudo o que o torcedor já faz com os outros bancos, ao migrar para o BMG e utilizar a conta digital Meu Galo BMG, irá rentabilizar seu time diretamente. Além disso, o Atlético receberá R$ 10 do Banco BMG para cada conta aberta que contenha um saldo mínimo de R$100 e acompanhada de uma operação financeira com o cartão de débito ou crédito.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>“O Banco BMG é um parceiro fiel do Atlético e está sempre presente nos grandes momentos da vida do clube. O Meu Galo BMG irá agradar muito ao torcedor atleticano pelo design personalizado do aplicativo, facilidades oferecidas e possibilidade de ajudar o Galo a ser cada vez mais forte”, comenta o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara.</p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Os torcedores que baixarem o aplicativo Meu Galo BMG, sem custos, nas lojas virtuais dos sistemas Android e iOS, ou diretamente no site </span><a href="http://www.meugalobmg.com.br/" data-auth="NotApplicable"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">www.meugalobmg.com.br</span></a><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">, terão diversas vantagens. São elas: cartão personalizado do Clube, conta 100% online sem tarifas, cartão de crédito sem anuidade, transferências gratuitas, saques ilimitados no Banco 24h e pacote de benefícios para ajudar ainda mais o Atlético!</span></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span><strong><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;">Voz aos torcedores</span></strong></p> <p style="text-align: justify;"><span style="font-style: inherit; font-weight: inherit;"> </span>Em celebração à chegada do Meu Galo BMG, o Banco BMG se uniu ao Torcedores.com para a criação de uma plataforma de conteúdos exclusivos do Atlético. Nele, a torcida alvinegra poderá produzir matérias e colaborar com notícias e opiniões sobre seu time do coração, informando e entretendo os interessados no assunto.</p></div> Clientes da Fama têm bons resultados no primeiro trimestre 2019-06-10T00:00:00+00:00 2019-06-10T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6801-clientes-da-fama-tem-bons-resultados-no-primeiro-trimestre Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/5485c45cc87fde433a7b9fa754005ea6_L.jpg" alt="Clientes da Fama têm bons resultados no primeiro trimestre" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p><em>As empresas registraram crescimento médio de 12% na receita entre janeiro e março deste ano</em></p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">As companhias que compõem o portfolio da Fama Investimentos, gestora de recursos de empresas brasileiras de capital aberto, fecharam o primeiro trimestre deste ano com aumento médio de 12% na receita.</p> <p style="text-align: justify;">As companhias que apresentaram as maiores taxas de crescimento da receita no período em relação ao primeiro trimestre do ano passado com a Localiza (34%), em consequência do aumento de 32% de sua frota; a Randon (25%), que só não teve uma performance ainda maior porque uma de suas plantas está em processo de melhorias; e a MRV (23%), que reconheceu a receita de vários lançamentos realizados.</p> <p style="text-align: justify;">Durante esse período, a Fama Investimentos aumentou sua participação na LOG, empresa de logística na qual começou a investir em dezembro de 2018.<strong> </strong></p> <p style="text-align: justify;">“Este é o conjunto de empresas relevantes que, a despeito da estagnação econômica e incertezas, está pisando no acelerador e fazendo uma série de movimentos estratégicos. Estamos observando que este grupo, mesmo com a situação do País pouco favorável, está se movimentando e alcançando resultados positivos em várias vertentes do mercado”, comenta Fabio Alperowitch, co-fundador e portfolio manager da Fama Investimentos.</p> <p style="text-align: justify;">Quando analisado o crescimento em EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), o maior destaque do portfolio da Fama ficou por conta da Klabin, empresa produtora de embalagens, que teve um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. </p> <p style="text-align: justify;">“Uma das características que traduzem esse crescimento é a flexibilidade de produção da Klabin. Ela pode rapidamente aproveitar o mercado interno, vendendo mais embalagens quando o cenário é mais forte, ou exportando celulose, quando o mercado externo está aquecido ou o câmbio está mais favorável”, analisa Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;">A Mills foi a segunda empresa com melhor evolução do EBITDA, com um crescimento de 31% em comparação ao mesmo período de 2018. Para Alperowitch, estes bons resultados estão muito relacionados com o trabalho interno que a companhia vem fazendo nos últimos meses.</p> <p style="text-align: justify;">O executivo destacou, aindaa o processo de fusão com a Solaris, segunda maior empresa do setor, o que deverá trazer expressivos ganhos futuros, fruto de uma combinação estratégica e com muita sinergia.</p> <p style="text-align: justify;">A terceira empresa de maior aumento em EBITDA foi a Localiza, um crescimento decorrente do recente aumento de receita da companhia. </p> <p style="text-align: justify;">Em relação às empresas com o melhor aumento de margem, o destaque vai novamente para a Mills, que cresceu 8 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre do ano passado, decorrente dos ajustes internos comentados anteriormente.</p> <p style="text-align: justify;">A Klabin, que cresceu 6 pontos percentuais em margem neste período, foi ajudada pelo ambiente com melhores preços e a situação atual do Real mais desvalorizado.</p> <p style="text-align: justify;">“Os resultados alcançados pelas companhias do portfolio da Fama mostram que o cenário econômico incerto não impacta negativamente todas as empresas. Negócios bem administrados, sólidos e que são geradores de caixa conseguem crescer e fazer vários movimentos inesperados”, assinala Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;">Diversas movimentações realizadas neste trimestre demonstram que algumas companhias aproveitam o momento para encontrar alternativas para acelerar seus crescimentos futuros, a despeito da estagnação econômica.</p> <p style="text-align: justify;">A RaiaDrogasil, por exemplo, comprou as operações da Onofre que, não apenas incrementa sua presença em São Paulo, como também acelera o crescimento do e-commerce, onde a Onofre tem bom desempenho.</p> <p style="text-align: justify;">Seguindo movimento similar, a Duratex anunciou recentemente a aquisição da Cecrisa. A companhia já tinha uma operação pequena em cerâmicas, a partir do investimento na Ceusa, marca adquirida em 2017 e que já vinha passando por um processo de duplicação de capacidade, que será concluído em dois meses. Com a compra da Cecrisa, a Duratex ingressa definitivamente nesse segmento.</p> <p style="text-align: justify;">A Localiza anunciou um aumento de capital expressivo de quase R$ 2 bilhões. Os recursos serão utilizados basicamente para a expansão da frota, após já tê-la duplicado nos últimos três anos. O cenário da companhia aponta para um grande aumento de demanda e um ritmo acelerado de crescimento.</p> <p style="text-align: justify;">Já a Klabin anunciou neste primeiro trimestre um novo ciclo de investimento de R$ 8 bilhões. A Randon, por sua vez, divulgou uma joint-venture com a Triel, empresa da área de implementos rodoviários. No mesmo período, a SulAmérica divulgou um investimento de R$ 100 milhões na Órama, uma plataforma de investimentos.</p> <p style="text-align: justify;">A Multiplan também tem sido bastante ativa, criando uma agenda bem clara de geração de valor e crescimento. A companhia realizou investimento na Delivery Center, empresa especializada em entregas, com o objetivo de mudar a forma com que o consumidor frequenta o shopping.</p> <p style="text-align: justify;">Além disso, aumentou sua participação no BH Shopping, revelou um novo empreendimento em Jacarepaguá e também a incorporação de um complexo residencial em Porto Alegre.</p> <p style="text-align: justify;">A Mills  finalizou seu processo de fusão com a Solaris. Por fim, a LOG concluiu sua operação de aumento de capital, recursos que serão destinados para acelerar o crescimento da companhia e de novos empreendimentos.</p> <p style="text-align: justify;">“Temos uma carteira com cerca de 15 empresas e adotamos uma estratégia única para todos os investidores, o que nos diferencia da maioria das demais gestoras. Contamos com 76% de investidores institucionais, 14% de Family Offices e 10% de indivíduos de alta renda. Destes, 42% são da Europa, 37% da América do Norte e 21% do Brasil. Nosso foco a partir de agora será aumentar a participação dos brasileiros”, finaliza Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;"> </p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/5485c45cc87fde433a7b9fa754005ea6_L.jpg" alt="Clientes da Fama têm bons resultados no primeiro trimestre" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p><em>As empresas registraram crescimento médio de 12% na receita entre janeiro e março deste ano</em></p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">As companhias que compõem o portfolio da Fama Investimentos, gestora de recursos de empresas brasileiras de capital aberto, fecharam o primeiro trimestre deste ano com aumento médio de 12% na receita.</p> <p style="text-align: justify;">As companhias que apresentaram as maiores taxas de crescimento da receita no período em relação ao primeiro trimestre do ano passado com a Localiza (34%), em consequência do aumento de 32% de sua frota; a Randon (25%), que só não teve uma performance ainda maior porque uma de suas plantas está em processo de melhorias; e a MRV (23%), que reconheceu a receita de vários lançamentos realizados.</p> <p style="text-align: justify;">Durante esse período, a Fama Investimentos aumentou sua participação na LOG, empresa de logística na qual começou a investir em dezembro de 2018.<strong> </strong></p> <p style="text-align: justify;">“Este é o conjunto de empresas relevantes que, a despeito da estagnação econômica e incertezas, está pisando no acelerador e fazendo uma série de movimentos estratégicos. Estamos observando que este grupo, mesmo com a situação do País pouco favorável, está se movimentando e alcançando resultados positivos em várias vertentes do mercado”, comenta Fabio Alperowitch, co-fundador e portfolio manager da Fama Investimentos.</p> <p style="text-align: justify;">Quando analisado o crescimento em EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), o maior destaque do portfolio da Fama ficou por conta da Klabin, empresa produtora de embalagens, que teve um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. </p> <p style="text-align: justify;">“Uma das características que traduzem esse crescimento é a flexibilidade de produção da Klabin. Ela pode rapidamente aproveitar o mercado interno, vendendo mais embalagens quando o cenário é mais forte, ou exportando celulose, quando o mercado externo está aquecido ou o câmbio está mais favorável”, analisa Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;">A Mills foi a segunda empresa com melhor evolução do EBITDA, com um crescimento de 31% em comparação ao mesmo período de 2018. Para Alperowitch, estes bons resultados estão muito relacionados com o trabalho interno que a companhia vem fazendo nos últimos meses.</p> <p style="text-align: justify;">O executivo destacou, aindaa o processo de fusão com a Solaris, segunda maior empresa do setor, o que deverá trazer expressivos ganhos futuros, fruto de uma combinação estratégica e com muita sinergia.</p> <p style="text-align: justify;">A terceira empresa de maior aumento em EBITDA foi a Localiza, um crescimento decorrente do recente aumento de receita da companhia. </p> <p style="text-align: justify;">Em relação às empresas com o melhor aumento de margem, o destaque vai novamente para a Mills, que cresceu 8 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre do ano passado, decorrente dos ajustes internos comentados anteriormente.</p> <p style="text-align: justify;">A Klabin, que cresceu 6 pontos percentuais em margem neste período, foi ajudada pelo ambiente com melhores preços e a situação atual do Real mais desvalorizado.</p> <p style="text-align: justify;">“Os resultados alcançados pelas companhias do portfolio da Fama mostram que o cenário econômico incerto não impacta negativamente todas as empresas. Negócios bem administrados, sólidos e que são geradores de caixa conseguem crescer e fazer vários movimentos inesperados”, assinala Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;">Diversas movimentações realizadas neste trimestre demonstram que algumas companhias aproveitam o momento para encontrar alternativas para acelerar seus crescimentos futuros, a despeito da estagnação econômica.</p> <p style="text-align: justify;">A RaiaDrogasil, por exemplo, comprou as operações da Onofre que, não apenas incrementa sua presença em São Paulo, como também acelera o crescimento do e-commerce, onde a Onofre tem bom desempenho.</p> <p style="text-align: justify;">Seguindo movimento similar, a Duratex anunciou recentemente a aquisição da Cecrisa. A companhia já tinha uma operação pequena em cerâmicas, a partir do investimento na Ceusa, marca adquirida em 2017 e que já vinha passando por um processo de duplicação de capacidade, que será concluído em dois meses. Com a compra da Cecrisa, a Duratex ingressa definitivamente nesse segmento.</p> <p style="text-align: justify;">A Localiza anunciou um aumento de capital expressivo de quase R$ 2 bilhões. Os recursos serão utilizados basicamente para a expansão da frota, após já tê-la duplicado nos últimos três anos. O cenário da companhia aponta para um grande aumento de demanda e um ritmo acelerado de crescimento.</p> <p style="text-align: justify;">Já a Klabin anunciou neste primeiro trimestre um novo ciclo de investimento de R$ 8 bilhões. A Randon, por sua vez, divulgou uma joint-venture com a Triel, empresa da área de implementos rodoviários. No mesmo período, a SulAmérica divulgou um investimento de R$ 100 milhões na Órama, uma plataforma de investimentos.</p> <p style="text-align: justify;">A Multiplan também tem sido bastante ativa, criando uma agenda bem clara de geração de valor e crescimento. A companhia realizou investimento na Delivery Center, empresa especializada em entregas, com o objetivo de mudar a forma com que o consumidor frequenta o shopping.</p> <p style="text-align: justify;">Além disso, aumentou sua participação no BH Shopping, revelou um novo empreendimento em Jacarepaguá e também a incorporação de um complexo residencial em Porto Alegre.</p> <p style="text-align: justify;">A Mills  finalizou seu processo de fusão com a Solaris. Por fim, a LOG concluiu sua operação de aumento de capital, recursos que serão destinados para acelerar o crescimento da companhia e de novos empreendimentos.</p> <p style="text-align: justify;">“Temos uma carteira com cerca de 15 empresas e adotamos uma estratégia única para todos os investidores, o que nos diferencia da maioria das demais gestoras. Contamos com 76% de investidores institucionais, 14% de Family Offices e 10% de indivíduos de alta renda. Destes, 42% são da Europa, 37% da América do Norte e 21% do Brasil. Nosso foco a partir de agora será aumentar a participação dos brasileiros”, finaliza Alperowitch.</p> <p style="text-align: justify;"> </p></div> AL oferece boas condições de crescimento para setor financeiro 2019-06-06T00:00:00+00:00 2019-06-06T00:00:00+00:00 http://www.executivosfinanceiros.com.br/financas/6787-al-oferece-boas-condicoes-de-crescimento-para-setor-financeiro Redação <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/97983a6111a2cfe16619eb6c81b7c8f7_L.jpg" alt="AL oferece boas condições de crescimento para setor financeiro" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p><em>A região tem alto índice de desbancarizados e uma taxa expressiva de penetração de smartphone</em></p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Dois fatores são considerados fundamentais para o desenvolvimento do setor financeiro na América Latina nos próximos anos, segundo pequisa realizada em 55 países pela agência de marketing digital iProspect.</p> <p style="text-align: justify;">De acordo com o levantamento “A nova relação digital: uma história sobre finanças e o setor bancário” , a região tem alto índice de desbancarizados; são 45% da população adulta que não estão atrelada a uma instituição financeira.</p> <p style="text-align: justify;">Em contrapartida, a América Latina apresenta uma das maiores taxas de penetração de smartphones (70%).</p> <p style="text-align: justify;">Outros dados reveladores mostram que apenas 21% dos clientes estão dispostos a manter o seu nível de negócios atual com o banco que operam e que 87% dos consumidores estão dispostos a conhecer um player não-tradicional.</p> <p style="text-align: justify;">A pesquisa mostra, ainda, que o potencial de geração de receita a partir da população sem acesso bancário pode chegar a US$ 34 bilhões, impulsionando não apenas o setor financeiro, mas o comércio eletrônico e a inclusão de novas tecnologias e modelos de negócio na região.</p> <p style="text-align: justify;">Para a realização do estudo, a iProspect entrevistou 4 mil consumidores no Brasil, México, Colômbia, Chile e Argentina. O objetivo foi entender as percepções em relação aos bancos e às fintechs e auxiliar os players do setor a responder questões como os consumidores da América Latina estão dispostos a compartilhar seus dados, estão prontos para aceitar consultores-robôs, fariam transações bancárias com plataformas de tecnologia e por quê, dentre outros.</p> <p style="text-align: justify;">“Como os consumidores hoje se beneficiam de uma infinidade de opções, os bancos precisam se reinventar para permanecer relevantes. Fluência tecnológica, eficiência operacional e capacidade de adaptação acelerada às mudanças regulatórias são pilares evidentes para um melhor desempenho, porém, em um setor onde a confiança e a experiência do cliente são o alfa e o ômega, a compreensão genuína das expectativas dos consumidores é – mais do que nunca – a verdadeira receita para o sucesso”, afirma Bruno Mosconi, diretor geral da iProspect Brasil e um dos autores da pesquisa.</p> <p style="text-align: justify;">O estudo mostra também que 32% dos consumidores já utilizam serviços tanto de bancos tradicionais quanto provedores não-tradicionais e 25% gerenciam suas finanças em ambientes online.</p> <p style="text-align: justify;">Considerando que 46% dos consumidores atualmente esperam uma solução de atendimento de última geração, qualquer organização que ofereça serviços financeiros, seja um banco tradicional, varejista ou um gigante da tecnologia, é primordial oferecer uma experiência customizada, porém escalável.</p> <p style="text-align: justify;">Para tanto, será necessário aproveitar as mudanças atuais de percepção em relação ao progresso na automação e no uso de dados (mais de 50% dos consumidores estão dispostos a compartilhar seus dados em troca de uma solução de atendimento ao cliente 24 horas).</p> <p style="text-align: justify;">No Brasil, mercado com alta concentração e baixa concorrência, o potencial também é muito grande, com mais de 50 milhões de pessoas sem acesso a serviços financeiros.</p> <p style="text-align: justify;">A pesquisa revela que 73% dos brasileiros gerenciam suas finanças fazendo uso regular de serviços online e que 81% estariam dispostos para um provedor não-tradicional.</p> <p style="text-align: justify;">“Depois de anos sem grandes solavancos, o cenário do setor financeiro no Brasil vem mudando. Players mais acessíveis e centrados no usuário estão surgindo com soluções voltadas aos consumidores cada vez mais digitais, com demandas cada vez maiores por praticidade, transparência e serviços personalizados”, afirma o diretor geral da iProspect Brasil.</p> <p style="text-align: justify;">Algumas mudanças que merecem destaque incluem as empresas de tecnologia financeira, que agora podem emprestar dinheiro sem a intermediação de bancos e o desmembramento do setor de pagamentos, em 2010.</p> <p style="text-align: justify;">Além disso, existem outras iniciativas em andamento sobre criptomoedas, tokens e câmbio internacional.</p> <p style="text-align: justify;">“Este estudo deixa claro a importância das instituições financeiras investirem no desenvolvimento e promoção de seus aplicativos, no estabelecimento de canais de bate-papo 24 horas e de parcerias com fintechs e outros players para o desenho de serviços cada vez mais convenientes e inovadores”, conclui Mosconi.</p> <p style="text-align: justify;"> </p></div> <div class="K2FeedImage"><img src="http://www.executivosfinanceiros.com.br/media/k2/items/cache/97983a6111a2cfe16619eb6c81b7c8f7_L.jpg" alt="AL oferece boas condições de crescimento para setor financeiro" /></div><div class="K2FeedIntroText"><p><em>A região tem alto índice de desbancarizados e uma taxa expressiva de penetração de smartphone</em></p> </div><div class="K2FeedFullText"> <p style="text-align: justify;">Dois fatores são considerados fundamentais para o desenvolvimento do setor financeiro na América Latina nos próximos anos, segundo pequisa realizada em 55 países pela agência de marketing digital iProspect.</p> <p style="text-align: justify;">De acordo com o levantamento “A nova relação digital: uma história sobre finanças e o setor bancário” , a região tem alto índice de desbancarizados; são 45% da população adulta que não estão atrelada a uma instituição financeira.</p> <p style="text-align: justify;">Em contrapartida, a América Latina apresenta uma das maiores taxas de penetração de smartphones (70%).</p> <p style="text-align: justify;">Outros dados reveladores mostram que apenas 21% dos clientes estão dispostos a manter o seu nível de negócios atual com o banco que operam e que 87% dos consumidores estão dispostos a conhecer um player não-tradicional.</p> <p style="text-align: justify;">A pesquisa mostra, ainda, que o potencial de geração de receita a partir da população sem acesso bancário pode chegar a US$ 34 bilhões, impulsionando não apenas o setor financeiro, mas o comércio eletrônico e a inclusão de novas tecnologias e modelos de negócio na região.</p> <p style="text-align: justify;">Para a realização do estudo, a iProspect entrevistou 4 mil consumidores no Brasil, México, Colômbia, Chile e Argentina. O objetivo foi entender as percepções em relação aos bancos e às fintechs e auxiliar os players do setor a responder questões como os consumidores da América Latina estão dispostos a compartilhar seus dados, estão prontos para aceitar consultores-robôs, fariam transações bancárias com plataformas de tecnologia e por quê, dentre outros.</p> <p style="text-align: justify;">“Como os consumidores hoje se beneficiam de uma infinidade de opções, os bancos precisam se reinventar para permanecer relevantes. Fluência tecnológica, eficiência operacional e capacidade de adaptação acelerada às mudanças regulatórias são pilares evidentes para um melhor desempenho, porém, em um setor onde a confiança e a experiência do cliente são o alfa e o ômega, a compreensão genuína das expectativas dos consumidores é – mais do que nunca – a verdadeira receita para o sucesso”, afirma Bruno Mosconi, diretor geral da iProspect Brasil e um dos autores da pesquisa.</p> <p style="text-align: justify;">O estudo mostra também que 32% dos consumidores já utilizam serviços tanto de bancos tradicionais quanto provedores não-tradicionais e 25% gerenciam suas finanças em ambientes online.</p> <p style="text-align: justify;">Considerando que 46% dos consumidores atualmente esperam uma solução de atendimento de última geração, qualquer organização que ofereça serviços financeiros, seja um banco tradicional, varejista ou um gigante da tecnologia, é primordial oferecer uma experiência customizada, porém escalável.</p> <p style="text-align: justify;">Para tanto, será necessário aproveitar as mudanças atuais de percepção em relação ao progresso na automação e no uso de dados (mais de 50% dos consumidores estão dispostos a compartilhar seus dados em troca de uma solução de atendimento ao cliente 24 horas).</p> <p style="text-align: justify;">No Brasil, mercado com alta concentração e baixa concorrência, o potencial também é muito grande, com mais de 50 milhões de pessoas sem acesso a serviços financeiros.</p> <p style="text-align: justify;">A pesquisa revela que 73% dos brasileiros gerenciam suas finanças fazendo uso regular de serviços online e que 81% estariam dispostos para um provedor não-tradicional.</p> <p style="text-align: justify;">“Depois de anos sem grandes solavancos, o cenário do setor financeiro no Brasil vem mudando. Players mais acessíveis e centrados no usuário estão surgindo com soluções voltadas aos consumidores cada vez mais digitais, com demandas cada vez maiores por praticidade, transparência e serviços personalizados”, afirma o diretor geral da iProspect Brasil.</p> <p style="text-align: justify;">Algumas mudanças que merecem destaque incluem as empresas de tecnologia financeira, que agora podem emprestar dinheiro sem a intermediação de bancos e o desmembramento do setor de pagamentos, em 2010.</p> <p style="text-align: justify;">Além disso, existem outras iniciativas em andamento sobre criptomoedas, tokens e câmbio internacional.</p> <p style="text-align: justify;">“Este estudo deixa claro a importância das instituições financeiras investirem no desenvolvimento e promoção de seus aplicativos, no estabelecimento de canais de bate-papo 24 horas e de parcerias com fintechs e outros players para o desenho de serviços cada vez mais convenientes e inovadores”, conclui Mosconi.</p> <p style="text-align: justify;"> </p></div>