Menu

Implantação de “frameworks” de TI deve ter responsabilidades bem definidas

Implantação de “frameworks” de TI deve ter responsabilidades bem definidas

Participação da área de qualidade é importante para o êxito dos projetos

Abraçar modelos de gestão de TI – os conhecidos “frameworks”, tais como o Cobit e o ITIL – não é tarefa nada corriqueira, em vista da complexidade das empreitadas. Um dos requisitos de sucesso neste tipo de projeto, minimizando-se riscos e potencializando os resultados, é justamente estabelecer claramente as responsabilidades no trabalho de implementação.

“É importante definir os processos com os encarregados da execução e fazer com que estas áreas/pessoas tomem esta missão a sério e façam acontecer”, recomenda Alexandre Hernandes, responsável por Shared Services e Projetos Estratégicos da Softtek no Brasil.

Normalmente, engajam-se nos projetos os setores operacionais da empresa, ou seja, aqueles que efetivamente levam a cabo as tarefas e processos. No entanto, frisa o entrevistado, é fundamental que haja a interação e o apoio da área de qualidade, a qual poderá ajudar no desenho e na auditoria durante a implantação.

“O envolvimento da área de qualidade vai assegurar que a operação siga os processos à risca e que as tarefas definidas sejam cumpridas pelos responsáveis, sem entraves”, salienta ele. Além do mais, a participação de um porta-voz da companhia que seja uma figura forte, com poder para tomar decisões e apoiar as mudanças, ajuda na efetivação dos procedimentos.

O departamento de formação profissional, preconiza o especialista, também deve ser mobilizado, na medida em que responde pelo treinamento e capacitação dos colaboradores a serem arregimentados, garantindo que sejam adestrados para suportar a mudança de cultura da companhia, que corre em paralelo.

Outro ponto essencial para aplainar o terreno é a disposição e a abertura da empresa exatamente para a introdução de mudanças. “Claro que se trata de um processo gradativo e, geralmente, não imediato. O mais importante é não ter medo de encarar os desafios que são inerentes a estas empreitadas e aprender com os erros que possam surgir”, nota o entrevistado.

Falando do que foi feito a respeito na própria Softtek, Hernandes conta que, internamente, o responsável pela implementação dos “frameworks” foi o principal executivo da área de operações, considerado o coração deste tipo de iniciativa.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes