Logo
Imprimir esta página

Digitalização de empréstimos como diferencial competitivo

Luciano Quintela, diretor de serviços financeiros da Unisys para América Latina Luciano Quintela, diretor de serviços financeiros da Unisys para América Latina

Um novo ecossistema emerge, exigindo uma drástica mudança de cultura do setor bancário

Luciano Quintela(*)

Tendências digitais do setor bancário estão evoluindo rapidamente e mudando radicalmente o tradicional “controle” dos bancos no processo de interação com seus clientes, que demandam cada vez mais pragmatismo nas transações do dia-a-dia. Tais ferramentas são vistas como melhorias aos consumidores e uma porta de entrada a prospects, com inúmeras facilidades e novas opções de interação.

Seguindo o mesmo caminho, o processo de empréstimo nas instituições financeiras vem avançando de forma muito rápida por meio de novas plataformas digitais, com o objetivo de atender às novas exigências do mercado consumidor, seja ele pessoal, corporativo ou até para demandas mais complexas, como um financiamento imobiliário.

Um novo ecossistema emerge, exigindo do setor bancário uma drástica mudança de cultura, ruptura do modelo de negócio e aplicação de diferentes capacidades. Para garantir o sucesso no médio e longo prazo, as instituições deverão investir na transformação das plataformas de user experience em um mercado extremamente competitivo e avançado.

Como viabilizar essa mudança e aumentar a competitividade, levando em conta esses desafios?

Estrutura e modelo operacional ágeis, flexíveis e seguros

Para desenvolver um processo de empréstimo digital de ponta-a-ponta é necessário entender qual o grau de flexibilidade e agilidade presentes na estrutura e modelo operacionais. Essa combinação de fatores permitirá que uma organização altere ou adapte, de forma ágil, sua tecnologia, segurança, processos, controles, operações e estrutura organizacional.

Outro ponto fundamental é a segurança. À medida que a inovação tecnológica “força” os bancos a interagirem com seus clientes de formas cada vez mais inovadoras, é preciso ter em mente que a customização e a entrega em tempo real elevarão ainda mais os riscos de segurança cibernética.

Além disso, a cultura e pessoas certas também são extremamente relevantes nesse novo ecossistema. Segundo o Gartner, 46% dos CIOs afirmaram que essa é uma das maiores barreiras para transformação digital. As instituições financeiras precisam buscar formas de trabalho colaborativas, competências adequadas de times, líderes inovadores, além de testes, testes e mais testes.

Fácil acesso e valor para o cliente

A experiência de empréstimo digital fluido é essencial para sucesso das instituições que atuam em diferentes canais. Nesse sentido, para ser eficaz, é preciso abordar todos os serviços envolvidos no processo, criando uma experiência digital mais abrangente, que inclua verificação rápida de informações, acesso a fontes de dados externas, rápida identificação de mutuários qualificados e maior segurança.

Análise e oportunidade de dados

open banking é uma realidade presente nas estratégias de TI das instituições financeiras na Europa e, espera-se que futuramente também seja aplicado nas demais regiões, fornecendo aos consumidores de empréstimo o poder de escolha. No open banking, os clientes podem compartilhar suas informações pessoais para acessar uma grande variedade de soluções personalizadas e relevantes no mercado financeiro, melhorando a sua experiência, permitindo melhores decisões em tempo real e, consequentemente, uma melhor saúde financeira geral.

Associado a uma estratégia de open banking, a automação RPA (Robotic Process Automation), a Inteligência Artificial (IA) e a análise de dados são ferramentas poderosas para relacionamento e empoderamento do processo de digitalização de empréstimos. Elas podem destruir ou agregar valor ao seu negócio, dependendo da forma como são utilizadas. Portanto, é essencial ter uma clara definição do melhor modelo de utilização para oferecer uma experiência customizada e otimizada, com menos interações humanas e mais precisão.

Enfim, adotar uma estratégia digital de empréstimo não se trata apenas de digitalizar o processo com foco em redução de custo ou ainda disponibilizar os produtos de crédito em canais digitais. Significa a transformação digital de todo o ecossistema de apoio ao negócio por meio de jornadas eficientes, estrutura tecnológica, equipes competentes e parceiros de valores, integrados em processos simples, fluídos, paperless e seguros.

Essa renovação proporciona uma melhor experiência para o cliente na tomada de decisão, menores custos operacionais e riscos de fraudes, aumentando o sucesso da instituição nos canais digitais.

(*) Diretor de serviços financeiros da Unisys para América Latina

Joomla SEO by MijoSEF
Template Design © Joomla Templates GavickPro. All rights reserved.