Menu

Huawei lança a primeira rede determinística de telecomunicações orientada à tecnologia 5G

Rede oferece recursos customizáveis, privacidade de dados e autoatendimento com gerenciamento automatizado

 

A Huawei lança a primeira solução de rede determinística de telecomunicações orientada à tecnologia 5G, denominada 5GDN. O projeto se baseia no conceito principal de “Cloud Native, One Core, Real Time Operation e Edge Computing" ("Nuvem Nativa, Um Núcleo, Operação em Tempo Real e Computação de Borda”, em tradução livre). A solução fornece conectividade e experiência de uso diferenciados e garantia de cumprimento do Acordo Nível de Serviço (SLA) para todos os setores, pois cria Redes Móveis Virtuais Privadas (MVPNs) verificáveis​​.

A Transformação Digital exige que as redes 5G se diferenciem ao oferecer recursos customizáveis, privacidade de dados e autoatendimento com gerenciamento automatizado. Para isso, é fundamental que seja uma rede 5G determinística, que aponta com precisão o tempo necessário para a transferência de dados ao utilizar técnica de multiplexação de tempo fixo (cada canal recebe um pacote pré-determinado e permanente de dados).

A Huawei trabalhará fortemente com parceiros para promover o consenso e acelerar o desenvolvimento do setor de telecomunicações, além de inovar serviços, construir um sistema forte de 5G e impulsionar novas oportunidades de negócios para o 5G", disse o vice-presidente do Departamento de Marketing de Rede em Nuvem da Huawei, Ma Liang. Até agora, a Huawei já firmou 91 contratos comerciais de 5G em todo o mundo.

Características do 5GDN

o Nuvem nativa: alavancando a arquitetura nativa, é possível unificar a infraestrutura da nuvem de telecomunicações e, consequentemente, suportar os mecanismos que atendam aos requisitos de redes centrais e de borda;
o Um núcleo: a rede principal 5G baseada em microsserviços é totalmente integrada às redes 2G, 3G, 4G e herda todos os serviços existentes. Sua implantação por meio de um núcleo aperfeiçoa o desempenho do sistema e, principalmente, garante a evolução do software na migração para a rede 5G;
o Operação em tempo real: o mecanismo de automação da rede principal integra várias funções e aproveita os recursos programáveis ​​de fluxo de trabalho, dados nativos e Inteligência Artificial para garantir a operação inteligente, simplificada e ágil da rede principal 5G;
o Computação de borda: o alto desempenho da computação de borda garante baixa latência determinística e cria um ecossistema baseado em conectividade e computação aprimoradas, colaboração na nuvem e integração rápida de serviços de terceiros.

Leia mais ...

Nuveto cria nova unidade de negócios focada em IoT

Nova divisão na empresa tem como objetivo explorar o grande mercado que os dispositivos IoT podem proporcionar

É cada vez mais comum que dispositivos conectados à internet façam parte da rotina do mundo. Dispositivos estão por todos os lados, desde um smartphone até dispositivos desenvolvidos especificamente como solução para um tipo de negócio. A conexão e troca de dados entre objetos já faz parte do dia a dia da maioria das pessoas e empresas. De acordo com a consultoria McKinsey & Company, a internet das coisas terá um potencial impacto econômico de equivalente a 11% da economia mundial em 2025. Isso significaria de US$ 3,9 trilhões a US$ 11,1 trilhões por ano.

Sabendo disso, a Nuveto, empresa brasileira de soluções em nuvem para as áreas de atendimento e relacionamento ao cliente, identificou uma oportunidade de explorar este mercado com alto potencial criando uma nova unidade de negócios, a Fuse IoT.

Como a Nuveto é uma empresa tradicionalmente conhecida por sua atuação em Contact Centers na nuvem, a opção foi pela criação da nova unidade de negócios focada em IoT. "Embora as soluções de IoT possam garantir muita produtividade aos nossos atuais clientes, optamos por criar a Fuse IoT para que o mercado não absorvesse a informação de maneira equivocada. Nossa atuação seguirá nos mesmos moldes, no entanto, temos mais uma unidade de negócios dentro da companhia que nos proporcionará diversas novas oportunidades, bem como a MEX, incorporada há pouco mais de um ano", afirma Luís Fernando Palermo, CEO da Nuveto.

Objetivos e expectativas

O objetivo da companhia é oferecer ao mercado soluções de transformação digital utilizando tecnologias de IoT, aproveitando a cadeia de valor deste ecossistema para garantir benefícios técnicos às operações, tanto dos clientes atuais como de novas oportunidades que surgirem a partir do lançamento da Fuse IoT.

A Fuse IoT espera que, até o segundo semestre de 2020, mais de 15 mil dispositivos de IoT sejam instalados em todo o Brasil pela companhia.

"Temos grandes expectativas de estabelecer novos negócios com todos os clientes atuais da Nuveto, além de desbravar inúmeras novas oportunidades. O que limita uma solução de IoT é a visão estratégica de negócio, criatividade e conhecimento técnico, fatores que temos de sobra na equipe", afirma Murilo Silva, diretor de soluções da Fuse IoT.

"Através das tecnologias de IoT poderemos coletar dados para monitorar qualquer situação, desde coisas simples como a conservação de um jardim, até a temperatura de geladeiras de medicamentos e vacinas em hospitais e centros de pesquisa, ou até mesmo na transmissão de informações sobre acidentes de motociclistas aos órgãos competentes. Basta nos reunirmos com o cliente, ouvirmos sua 'dor', para desenvolvermos uma solução baseada em IoT que resolva seu problema e traga retorno a ele", completa Silva. 

Murilo Silva é nomeado diretor de soluções da Fuse IoT

Outro fator importante para a criação da Fuse IoT foi a chegada de Murilo Silva à Nuveto como desenvolvedor. A princípio, Silva se concentraria em soluções baseadas em Five9 para Contact Centers na nuvem, mas em pouco tempo identificou oportunidades em alguns clientes e, desta forma, após a criação da Fuse IoT foi promovido a diretor de soluções da divisão.

 

Leia mais ...

CPQD apresenta nova metodologia para avaliação de riscos em sistemas IoT

A avaliação de riscos é imprescindível não só para a adoção de sistemas IoT como também para o desenvolvimento e definição de elementos específicos, como sensores ou plataformas

Uma nova metodologia para avaliação de riscos em sistemas IoT, desenvolvida pelo CPQD, será apresentada no simpósio internacional TRON - Super & Safe City, que acontece nesta semana (entre os dias 11 e 13) em Tóquio, no Japão. A apresentação será feita por Emilio Nakamura, especialista em segurança da informação do CPQD, durante sessão técnica patrocinada pelo IEEE Consumer Electronics Society que irá abordar as mais recentes pesquisas nas áreas de Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, open data e sistemas embarcados.

“Sistemas IoT são formados pela integração de diferentes componentes, conduzindo a uma fusão físico-cibernética que possui riscos associados não apenas às informações mas, também, aos dispositivos físicos, às operações e aos seres humanos”, afirma Nakamura. “A avaliação de riscos é imprescindível não só para a adoção de sistemas IoT como também para o desenvolvimento e definição de elementos específicos, como sensores ou plataformas. Do ponto de vista de quem implementa e utiliza o sistema IoT, a escolha de atuadores e plataformas deve ser feita de acordo com o cumprimento dos requisitos fornecidos pela avaliação de riscos, levando em conta cada contexto de uso”, acrescenta.

Com base nessas premissas, a metodologia para avaliação de riscos em sistemas IoT do CPQD abrange uma série de aspectos: contexto de uso; identificação de pontos de ataques; mapeamento de ameaças; mapeamento de privacidade, segurança, proteção, resiliência e confiabilidade; identificação de vulnerabilidades; estimativas de probabilidade e de impacto; cálculo da matriz de riscos, priorização de controles de segurança e definição de plano de ação. 

O trabalho a ser apresentado no evento no Japão aborda os resultados da utilização dessa metodologia no projeto OCARIoT, que vem sendo desenvolvido pelo CPQD em parceria com outras instituições do Brasil e da Europa, dentro do programa Horizonte 2020 (H2020), da União Europeia. O objetivo desse projeto, que tem foco na prevenção de casos de obesidade infantil, é  desenvolver uma solução de coaching personalizado baseada em IoT que orientará as crianças a adotar uma alimentação saudável e atividades físicas. “Aplicamos a nova metodologia para a escolha dos sensores, responsáveis pela coleta das informações, e também da plataforma IoT para esse projeto”, revela Nakamura.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes