Menu

Caixa firma parceria com a Visa por dez anos

Acordo vai viabilizar o desenvolvimento e aprimoramento dos produtos do banco 

A CAIXA firmou, no último dia 12, acordo com a Visa para emissão preferencial dos cartões de crédito e débito pelo período de 10 anos. A parceria vai orientar a estratégia de meios de pagamento do banco, facilitando o desenvolvimento e aprimoramento dos produtos.

 Para o presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, “esse acordo permitirá obter melhor retorno no recebimento de incentivos, assegurando a rentabilidade econômica dos meios de pagamento e a oferta de produtos mais atrativos aos nossos mais de 100 milhões de clientes”.  

 “Estamos preparados para oferecer inovação, segurança e soluções para os milhões de clientes da Caixa, ajudando o banco a impulsionar os seus negócios", explica Fernando Teles, country manager da Visa do Brasil.

 Em maio de 2019, foi aprovada a estratégia de emissão preferencial com bandeira de atuação global para comercialização de cartões. Entre julho e setembro do mesmo ano, foi realizado processo seletivo, com chamamento ao mercado, em que a Visa foi selecionada por apresentar a melhor proposta comercial. Atualmente, a CAIXA já atua nesse mesmo modelo com a ELO, empresa na qual o banco tem participação societária. 

Leia mais ...

SuperSim oferece microcrédito online com garantia de celular

Fintech tem como meta promover inclusão financeira para população de baixa renda e negativados

Promover inclusão financeira a brasileiros que estão ou estiveram negativados e que são negligenciados pelo sistema financeiro tradicional foi o que motivou a criação da SuperSim. A mais nova fintech do mercado oferece crédito 100% online para a população das classes C e D e foi fundada por Daniel Shteyn, Antonio Brito e Rômulo Coutinho depois de diversas experiências no setor ao longo de anos. E com a crise gerada pelo avanço do coronavírus no Brasil, a empresa agora também oferece crédito com garantia do celular do cliente.

“Nossa missão é promover uma inclusão financeira que funcione, alcançar aqueles que nenhuma outra empresa alcança, dizer mais ‘sim’ do que todo mundo. Por isso nos chamamos SuperSim”, afirma Daniel Shteyn, presidente da empresa.

O potencial de alcance da SuperSim é grande, uma vez que são mais de 100 milhões de brasileiros que já estiveram negativados e que são negligenciados pelo sistema financeiro tradicional. “No Brasil, uma negativação representa anos sem qualquer alternativa de empréstimo. Isso não faz o menor sentido com as alternativas de dados e tecnologia que temos hoje em dia”, pontua Antonio Brito, CEO da empresa. 

A SuperSim iniciou suas operações em setembro de 2019, fez milhares de empréstimos e já tem crescido 30% ao mês. “Em 30 segundos aprovamos um cliente, e o crédito é feito em tempo quase real na conta do cliente”, afirma Antonio Brito.

Cada cliente passa por uma experiência customizada de acordo com seu perfil de risco e tem uma oferta única de taxas de juros e valor do empréstimo, que pode variar entre R$ 500 e R$ 3.000. “Utilizamos um avançado sistema de inteligência artificial proprietário, cruzando mais de mil pontos de dados externos e internos para avaliar o risco de fraude, capacidade de pagamento e a vontade de pagar”, complementa Rômulo Coutinho, CTO da empresa. “Por fim, temos um roteiro de inovações adicionais, que apresentaremos ao longo de 2020 e 2021. Esperamos que cada uma agregue um valor significativo aos nossos clientes e faça com que o restante do mercado financeiro siga nossa liderança.”, disse Daniel Shteyn.

A cada empréstimo, o cliente cria um histórico dentro da plataforma. Com isso, o seu risco diminui, o que possibilita taxas mais atrativas e prazos maiores ao longo do tempo, desde que a sua capacidade de pagamento seja mantida. Há uma preocupação permanente com superendividamento.

Para financiar o plano de crescimento, a empresa está estruturando uma securitizadora para captar capital de dívida e continua em processo de captação de capital próprio no Brasil e no exterior. Entre os investidores da SuperSim estão Al Goldstein, criador de duas fintechs de crédito de grande porte dos EUA – a Enova e a Avant –, Bruno Balduccini, advogado do escritório Pinheiro Neto e apoiador de startups no Brasil, e o fundo Distrito Ventures.

 

 

Leia mais ...

Agibank anuncia medidas para apoiar seus clientes frente ao coronavírus

Banco digital prevê parcelar faturas, refinanciar e conceder novos créditos para dar suporte a mais de um milhão de clientes na pandemia

 

O Agibank, banco digital omnichannel, acaba de anunciar as suas iniciativas em apoio aos mais de um milhão de clientes da instituição durante a pandemia. Entre as medidas estão um novo produto de seguro de vida, que subsidia a compra de medicamentos, e a possibilidade de refinanciamento em canais alternativos.

O novo seguro, fruto da recente parceria com a seguradora Generali, tem baixo custo de aquisição e oferece, sem carência, o valor de R$ 150 para compra de medicamentos em farmácias para cada consulta de emergência realizada. Já o refinanciamento de empréstimos poderá ser realizado pelo cliente diretamente no caixa eletrônico, por telefone e no aplicativo, com menores taxas e maior prazo para pagamento.

O Agibank também oferecerá para clientes com a fatura do cartão de crédito em dia a condição de parcelamento das faturas com vencimento a partir de 15 de abril, com juros reduzidos para 1,99% a.m. Outra novidade será a concessão de novos limites de cartão de crédito para aqueles clientes que até então não tinham nenhum limite, o que vai na contramão dos cortes ou do aumento dos custos com o crédito observados em alguns bancos e fintechs.

"Em momentos como esse reforçamos o nosso compromisso de estar sempre ao lado do cliente, em todos os canais. A nossa condição de ter presença digital e física é um valor muito importante, pois garantimos o autoatendimento para quem prefere e não descuidamos daqueles que ainda precisam do atendimento presencial para resolver as suas necessidades financeiras. Pagamos benefícios, salários, logo somos um serviço essencial, que deve ser garantido à população", comenta Marciano Testa, CEO do Agibank. Para quem está com dificuldade financeira ou ainda busca conversar sobre algum tema específico, foi disponibilizada uma equipe exclusiva na central de atendimento do banco. Além disso, uma boa parcela da base de clientes da instituição está recebendo ligações dos colaboradores apenas para tranquilizar, bater um papo e prestar assistência. "O atendimento é um diferencial do Agibank e a atenção ao cliente nos momentos de dificuldade tem ainda mais valor. Afinal, não podemos desacelerar quando as pessoas mais precisam", afirma o CEO.

Desde o início da quarentena no Brasil, a instituição migrou 100% dos colaboradores da sua sede e do seu call center para o modelo de home office, mantendo os funcionários em atendimento nos pontos físicos, sempre em acordo com os protocolos de segurança e prevenção necessários, o que inclui escalas, horários reduzidos, entre outros. Além disso, os colaboradores também vão usufruir do benefício para compra de medicamentos ao longo dos próximos seis meses.

Leia mais ...

Coronavírus faz com que investidores busquem segurança na renda fixa

Investimentos estão se concentrando mais em CDBs e no Tesouro Direto, segundo levantamento do Yubb

 

Um levantamento realizado pelo Yubb (http://yubb.com.br/), um buscador de investimentos, apontou que, com a pandemia de coronavírus no Brasil e a instabilidade econômica intensificada com a continuidade de circuit breakers na Bolsa neste mês de março, os investidores estão procurando oportunidades mais seguras, com foco em renda fixa, na comparação com o mesmo período do ano passado.

O comparativo (ver tabela abaixo) mostrou um crescimento das aplicações em CDBs, investimentos em renda fixa oferecidos por bancos. A maior mudança ocorreu com os fundos de ações e robôs, que desceram no ranking, caindo das 1ª e 5ª posições para as 4ª e 10ª posições, respectivamente.

"Embora muitas corretoras estejam reportando um aumento nas buscas por ações, fundos de ações ou renda variável, a maior parte da população está se afastando desses investimentos pela alta volatilidade", explica Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb.

Com três anos de funcionamento, o Yubb é um buscador online e gratuito, conhecido como o "buscapé dos investimentos", pois mapeia todos os investimentos do país e recebe mais de oito milhões de buscas por mês.

Confira na íntegra os rankings de investimentos mais buscados por período:

Março/2020

1º - CDBs; 2º - Tesouro Direto; 3º - Fundos imobiliários (FIIs); 4º - Fundos de ações; 5º - Fundos multimercado; 6º - Fundos cambiais; 7º - Fundos de índice (ETF); 8º - LC/RDB; 9º - LCI/LCA; 10º - Robôs de investimento

Março/2019 1º - Fundos de ações; 2º - CDB; 3º - Tesouro Direto; 4º - Fundos multimercado; 5º - Robôs de investimento; 6º - RDB; 7º - LC; 8º - LCI/LCA; 9º - Fundos DI; 10º - Fundos imobiliários (FIIs)

Leia mais ...

B3 divulga a primeira prévia do Ibovespa e demais índices

Entraram no fechamento do pregão de 31 de março de 2020 a CPFL Energia ON (CPFE3), Energisa UNT (ENGI11) e Minerva ON (BEEF3)

 A B3 divulga a primeira prévia da nova carteira do Índice Bovespa que vai vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, com base no fechamento do pregão de 31 de março de 2020. A prévia do Ibovespa registra a entrada de CPFL Energia ON (CPFE3), Energisa UNT (ENGI11), Minerva ON (BEEF3), totalizando 76 ativos de 73 empresas.

Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (10,835%), Itauunibanco PN (8,327%), Bradesco PN (6,127%), B3 ON (5,500%) e Petrobras PN (4,815%).

Para efeitos de comparação, os ativos que apresentaram o maior peso na composição da carteira anterior do índice válida de 06 de janeiro de 2020 a 30 de março de 2020 foram: Itauunibanco PN (8,573%), Vale ON (8,189%), Bradesco PN (6,985%), Petrobras PN (6,617%), e B3 ON (4,312%).

A B3 divulga regularmente três prévias das novas composições dos índices: a 1ª prévia, no primeiro pregão do último mês de vigência da carteira em vigor; a 2ª prévia, no pregão seguinte ao dia 15 do último mês de vigência da carteira em vigor e a 3ª prévia, no penúltimo pregão de vigência da carteira em vigor.

 

A B3 também divulga as carteiras dos outros índices calculados.

Leia mais ...

Sompo Seguros investe em campanha de abrangência nacional

Criada pela agência REF+, ação usa humor para listar os atributos da marca e apresentar conceito de pertencimento da companhia de origem japonesa

 

A Sompo Seguros S.A, empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, acaba de estrear uma nova campanha publicitária em TV e mídias sociais. A iniciativa faz parte da estratégia de investimento em comunicação para fortalecer o reconhecimento da marca (brand awareness) e reforça o posicionamento da companhia como a seguradora faixa-preta. “A Sompo Seguros já vem no terceiro ano consecutivo com a evolução no processo de comunicação com o consumidor para ressaltar seus atributos de marca e valores como companhia, além de contar com a credibilidade, confiança e excelência na qualidade dos serviços prestados pela companhia para ter o suporte no momento que for necessário acionar o seguro”, destaca André Gouw, gerente de Marketing da Sompo Seguros.

Sob o mote “Conhece a Sompo Seguros?”, o filme no ar em TV aberta e fechada, em abrangência nacional, a partir de hoje, recorre a um jantar em família para ressaltar os atributos da marca e o conceito de pertencimento. No filme, um personagem carismático que, para começar a interagir e ser aceito pela família da namorada, pergunta ao sogro se ele conhece a Sompo Seguros, e, então, começa a dar dicas valiosas sobre os benefícios da seguradora japonesa, que tem mais de 130 anos de tradição e que já tem a aprovação dos seus clientes no Brasil.

A campanha

A exemplo da campanha do ano passado, a Black Door Filmes foi novamente a responsável pela produção do filme. Nesta primeira fase da campanha, o filme recorre ao seguro Residencial para destacar os atributos da companhia. Está prevista uma segunda fase, com uma nova versão do filme em que o seguro Automóvel vai conduzir o argumento da peça a ser veiculada. Desenvolvida pela REF+, a estratégia de mídia que engloba filmes de 30” e de 15”, com veiculação em canais de TV aberta e fechada, e uma série de ações no digital, com Google, Facebook, Instagram e YouTube. Os conteúdos nas redes sociais serão reforçados com o personagem principal da campanha dando dicas sobre como escolher a seguradora certa.

 De acordo com Renato Pereira, sócio e CCO (Chief Creative Officer) da REF+, a campanha combina dois elementos importantes da comunicação, que são os valores e o carisma da marca. “Para essa comunicação, buscamos reforçar os atributos da companhia e brincar com essa questão de ter alguém novo na família, como é essa recepção. Isso traduz o desejo da Sompo, que é o de ser uma marca que faz parte da vida das pessoas e que as ajude no dia a dia”, afirma.

 “Nossa campanha ressalta a confiança, que é um atributo muito relevante para o consumidor no momento da contratação do seguro. Essa mesma confiança, consolidada em segmentos corporativos que já reconhecem a Sompo Seguros como líder, a exemplo do segmento de Transporte, agora é intensificada na comunicação com o segurado por meio dessa nova iniciativa”, considera Fernando Grossi, diretor executivo da Sompo Seguros. “Os investimentos em comunicação nos anos recentes tiveram papel fundamental para dar suporte às estratégias de negócios da companhia. A presença da marca na mídia, aliado a uma estratégia de negócios focada em investimento em produtos inovadores e forte atuação comercial de nossa equipe junto aos mais de 26 mil corretores de seguros parceiros por todo o Brasil, foi crucial para fazer com que alcançássemos nossos objetivos de expansão da operação e aumento do market share em mercados estratégicos para diferentes ramos de produto”, conclui.

 

 

Leia mais ...

Sistema de pagamento instantâneo exigirá segurança redobrada por parte das instituições financeiras

A solução de melhor custo-benefício é optar por módulos criptográficos (HSM) que possam atender múltiplas normas e legislações simultaneamente

Bancos, carteiras digitais e fintechs com mais de 500 mil contas ativas no Brasil têm até o mês de novembro para se adequar ao novo sistema de pagamento instantâneo (PIX), aprovado pelo Banco Central no dia 19 de fevereiro. A plataforma permite a realização de transações financeiras, como pagamentos e transferências, em até dez segundos e durante 24 horas - uma vantagem importante para os usuários de serviços como TED e DOC. Porém, sua implementação vai exigir das instituições financeiras uma série de ajustes e investimentos em segurança, além de soluções para integração ao Banco Central.

Na visão de especialistas, a solução de melhor custo-benefício é optar por módulos criptográficos (HSM) que possam atender múltiplas normas e legislações simultaneamente. “Para isso, é necessário utilizar HSMs com certificações internacionais e nacionais, como o FIPS e aICP-Brasil. Desta forma, o cliente não só fica em compliance com o Manual de Segurança do Banco Central, mas também com PCI, LGPD e GDPR”, afirma Roberto Gallo, CEO da Kryptus, empresa especializada em criptografia e segurança cibernética. 

 

Em um mercado que deve crescer rapidamente e atingir um grande volume de transações, soluções de alta disponibilidade devem ter um papel fundamental nas decisões das empresas que buscam segurança e performance para reduzir riscos e custos. “Com o PIX, teremos transações criptografadas entre diversas partes. O próprio Banco Central recomenda o uso de um HSM para o armazenamento seguro das chaves e assinatura em alta performance”, explica Gallo.

 

Segundo o executivo, hoje o HSM está presente em diversas verticais de negócios. Nas aplicações financeiras, a solução poderá ser utilizada, por exemplo, como cofre digital, gerenciamento de credenciais, Autoridade Certificadora interna e adequação a leis de proteção de dados pessoais como LGPD e GDPR.  Além disso, HSMs que possuem funções de virtualização possibilitam uma redução de investimentos (Capex) e custos operacionais (Opex).

 

 

 

Leia mais ...

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes