Menu

Internet móvel gera US$ 700 bilhões em receitas em 13 países

Internet móvel gera US$ 700 bilhões em receitas em 13 países

Faturamento com a tecnologia deverá atingir US$ 1,55 trilhão em 2017

 

Negócios crescem especialmente em mercados em desenvolvimento

A internet móvel já gera cerca de US$ 700 bilhões em receitas anuais em 13 países: , Brasil, Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, Coreia do Sul, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Juntos eles representam cerca de 70% do PIB global, o equivalente a US$ 780 por adulto. A tecnologia criou postos de trabalho para cerca de três milhões de pessoas. O faturamento com a tecnologia irá atingir US$ 1,55 trilhão em todos estes países em 2017, o que sifgnifica um aumento anual de 23%. As informações são de um relatório divulgado pelo The Boston Consulting Group (BCG) nesta semana. 

De acordo com o estudo, as receitas estão crescendo especialmente em mercados em desenvolvimento, em razão da concorrência entre os vários sistemas de internet móvel. A inovação e a competição estão levando a melhores dispositivos e a queda dos preços para os consumidores.

 As receitas com internet móvel no Brasil e na China avançam a uma taxa anual de 25%, enquanto na Índia vem crescendo a 40% ao ano. Mesmo em mercados mais maduros, como Japão e Coreia do Sul, os negócios com essa tecnologia aumentam 10% ao ano, muito mais rápido do que a média do PIB global.

 O novo relatório do BCG, encomendado pelo Google, analisa o impacto econômico da economia digital relacionada a dispositivos móveis (como smartphones, tablets e wearables) e exclui atividade econômica gerada pela indústria de tecnologia móvel mais ampla, como as receitas geradas por chamadas telefônicas, "mensagens de texto", a fabricação de dispositivos não habilitados para Internet (telefones celulares muito simples, por exemplo), e as despesas de capital para atividades de dados não digitais nas redes móveis.

Os maiores responsáveis pelo crescimento das receitas de internet móvel nos próximos anos serão aplicativos, conteúdo e componentes de serviços do sistema, impulsionados pela rápida expansão do e-commerce e da publicidade.

Os consumidores são de longe os que mais se beneficiam com a internet móvel. Nos 13 países estudados, o superávit do consumidor é de cerca de US$ 4 mil por ano, ou sete vezes o que pagam por dispositivos e acesso.

 O consumidor de Internet móvel nos 13 países tem um saldo positivo de US$ 3,5 trilhões por ano. O maior excedente agregado é do consumidor nos EUA (US$ 827 bilhões) seguido por China (US$ 680 bilhões). Em uma base per capita, os consumidores no Japão, Alemanha, França e Austrália, juntos, possuem excedentes com internet móvel de mais de US$ 6 mil por ano.

 "A concorrência em todo o sistema de internet móvel está trazendo inovação, crescimento, emprego, e uma experiência de melhoria contínua para os consumidores e para as empresas", afirma Dominic Field, sócio do BCG e coautor do estudo. "O aumento do acesso às redes móveis em todos os lugares está levando a novas utilizações da internet - de serviços bancário à educação, de cuidados de saúde à prestação de serviços – e proporcionando um crescimento maior. Os legisladores podem ajudar a manter a economia da internet móvel em crescimento por meio de comprovados objetivos políticos que incentivam a melhoria contínua nestas áreas, bem como a inovação, a criação de valor e o bem-estar do consumidor."

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes