Menu

Plataforma bancária Next foca clientes hiperconectados

Cristina Pinna, superintendente executiva da Scopus Cristina Pinna, superintendente executiva da Scopus

Solução desenvolvida pela Scopus e parceiros foi concebida para facilitar o dia a dia da geração millennial, fugindo do atendimento convencional

Na vertical financeira, a transformação digital vai deixando de ser um mero slogan mercadológico e rapidamente adquire contornos reais na operação dos bancos e, em especial, no atendimento aos clientes. Prova disso é a plataforma Next, desenvolvida pela Scopus com parceiros, focando sobretudo os correntistas pertencentes à chamada geração millennial, caracterizada pelo uso nativo e intensivo da tecnologia em vários planos da vida cotidiana. 

Em termos de arquitetura e de funcionalidades, a Next abriga numerosos pontos de inovação em relação às abordagens tradicionais existentes neste terreno. “Ela é mais do que um canal de atendimento ao cliente. É verdadeiramente uma plataforma digital focada em entrar na vida do cliente hiperconectado e auxiliá-lo no seu dia a dia. A Next tem em vista principalmente a geração millennial. Por isso, possui design e linguagem diferenciadas, mais informais”, destaca Cristina Pinna, superintendente executiva da Scopus, em entrevista concedida ao portal da Executivos Financeiros

Na prática, explica a executiva, a Next auxilia os jovens no enfrentamento de seus desafios e na realização de seus sonhos. Por exemplo, em vez de simplesmente incentivar o cliente a aplicar em fundos de investimentos, a plataforma o estimula a informar quais são seus objetivos (uma viagem, a aquisição de um carro, fazer um pé de meia, etc.) e em quanto tempo ele pretende atingi-los. 

Com base nessas informações, a plataforma orienta o usuário sobre como aplicar seu dinheiro para materializar as metas traçadas, dentro do prazo estabelecido. Ou seja, o tratamento oferecido ultrapassa em muito a simples intenção de fazer mais uma aplicação financeira. 

Outros exemplos de inovações, mencionados por Cristina, são a Vaquinha Virtual entre amigos, alternativa que tem o intuito de juntar dinheiro para executar alguma atividade (como organizar um churrasco ou comprar um presente em grupo), e os Mimos, que consistem em parcerias entre a Next e grandes empresas (como Natura, Uber e Livraria Cultura) visando conceder benefícios aos correntistas. 

Design e linguagem modernos 

“Assim, a experiência do cliente é completamente diferente, pois, além do seu design e linguagem modernos e mais informais do que os existentes nos bancos tradicionais, a Next aborda o cliente nas suas necessidades corriqueiras, sem falar de produtos e serviços financeiros”, salienta a entrevistada. 

Do ponto de vista dos processos, a jornada de adesão do cliente, a abertura de conta e todas as atividades ligadas ao atendimento são efetivadas por intermédio da plataforma. A utilização de mecanismos digitais, portanto, torna dispensáveis a ida do correntista a uma agência ou a efetuação de ligações para uma central de atendimento – diferentemente do que se verifica no mercado. 

Com isso, o próprio cliente, por meio do aplicativo instalado em seu dispositivo móvel, pode acessar os serviços disponíveis com mais eficiência, conveniência e uma melhor experiência de uso. Do lado da instituição financeira, acrescenta Cristina Piina, “os processos são mais eficientes e baratos, com o back-office sendo bastante reduzido, o que permite também uma operação mais enxuta. Assim, todo o ecossistema tem benefícios, tornando-se verdadeiramente digital”. 

Falando especificamente sobre a contribuição da Scopus nesta empreitada, a executiva ressalta, em primeiro lugar, que a expertise acumulada pela empresa, em mais de 20 anos de atuação em canais digitais, foi fundamental para o sucesso do projeto. O know-how e as competências adquiridas “permitiram fazer a diferença principalmente nos aspectos de segurança digital, performance e na experiência do cliente, uma vez que conhecemos as necessidades dos clientes digitais e os trade-offs da tecnologia digital”. 

Mais detalhadamente, a Scopus participou de várias etapas do desenvolvimento da plataforma, fornecendo, entre outros ativos, soluções de segurança – como o mobile Token e bibliotecas de criptografias fortes e performáticas (dado que os dispositivos móveis são elementos com baixo poder computacional de processamento) – e soluções de comunicação instantânea com o cliente, como a tecnologia Push. 

Monitoração por parte das áreas de negócio 

No que se refere ao back-office, foram construídos dashboards com indicadores da operação, disponibilizados para monitoração por parte das áreas de negócio. Utilizaram-se tecnologias de desenvolvimento em aplicações embarcadas para as plataformas iOS e Android; linguagem Java para os módulos da solução que são executadas nos servidores, algoritmos de criptografia e arquitetura de sistema baseada em APIs (Application Programming Interfaces). 

Ainda no desenvolvimento, foram usadas metodologia ágil e ferramentas de automação do ciclo de vida e de colaboração entre as equipes. Neste contexto, procurou-se selecionar pessoas com diversas especialidades: arquitetos para projeto dos requisitos não-funcionais da solução (desenho técnico, performance e manutenção), especialistas e arquitetos de dados, especialistas em segurança, em requisitos e métodos de testes e em inteligência de dados. 

No Bradesco, a Next, ao focar o atendimento da geração Y, está sendo implementada para complementar o ecossistema de soluções do banco. “Os modelos convivem em paralelo e atendem mercados distintos”, observa Cristina. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes