Menu

Serviços móveis financeiros têm um grande potencial de mercado

Renato Osato, vice-presidente da Amdocs para Caribe e América Latina Renato Osato, vice-presidente da Amdocs para Caribe e América Latina

Pesquisa da Amdocs/Ovum aponta que 62% da população brasileira ainda não utiliza essa facilidade

Atualmente o Brasil é o maior mercado de telefones inteligentes na região da América Latina, com 89,5 milhões de conexões, e o quinto maior do mundo, depois da China, dos Estados Unidos, da Índia e da Indonésia, segundo estatísticas do mercado de telecom. Além disso, possui uma crescente classe média, consumidora desses aparelhos. Daí podemos deduzir que existe um grande potencial de mercado para os Serviços Móveis Financeiros (MFS). De acordo com pesquisa sobre o tema, promovida pela Amdocs e realizada pela Ovum, 62% da população brasileira não utiliza esse tipo de serviço.

Outro dado importante da mostra é que 23% dos consumidores não conhecem essa tecnologia e 39% têm conhecimento mas não a utilizam no momento. “A oportunidade é perfeita para as operadoras abordarem e converterem as pessoas que já conhecem os produtos financeiros móveis, mas que ainda não são usuários”, assinala Renato Osato, vice-presidente da Amdocs para CALA (Caribe e América Latina).

Entre os que utilizam os MFS, 70% transferem dinheiro para amigos/familiares, 70% checam saldos bancários, 53% pagam serviços públicos (energia, gás e água), e 29% recebem os salários. Outro resultado da mostra é que 50% dos usuários que empregam aplicativos MFS preveem que sua utilização crescerá nos próximos 12 meses. Indagados sobre quais serviços estariam interessados em adotar, 14% responderam empréstimos, poupança ou produtos de seguros, 14% pagamento de serviços públicos (água, luz e gás), 12% recebimento de salários e 7% transferência de dinheiro para alguém.

“Promover a próxima fase de crescimento é o maior desafio para as operadoras de serviços móveis no Brasil”, frisa Osato. A pesquisa apurou que 32% dos usuários não possuem conta bancária, o que é uma oportunidade única para as operadoras de MFS. Concluiu-se que uma parcela significativa de pessoas, 68%, possui algum tipo de conta bancária.

Carteira integrada móvel

Uma solução que pode ajudar as operadoras é a carteira integrada móvel da Amdocs, dotada de recursos para processamento de pagamentos. “Com ela, é possível oferecer serviços que vão estimular o uso ativo da tecnologia e promover a fidelidade do cliente”, explica o vice-presidente da Amdocs.

A pesquisa da Amdocs concluiu ainda que 40% dos participantes usam uma conta de poupança tradicional baseada em banco, 26% guardam dinheiro em casa (em um lugar escondido), 6% mantêm seu dinheiro em uma conta de poupança dos correios/de sociedade de crédito imobiliário, 4% usam uma conta de poupança de operadora móvel. Outro resultado da mostra é que 18% das pessoas poupam para cobrir emergências, 16% para comprar uma nova moradia, 14% para viajar e 13% para comprar um novo veículo.

“A pequena base de usuários ativos de MFS no Brasil busca aplicativos mais avançados, para empréstimos, poupança e produtos de seguros. Isto é encorajador, e as operadoras deverão se assegurar que tenham um roteiro do produto muito bem preparado para conduzir os usuários pela curva da adoção, do mais simples ao mais avançado MFS", disse Eden Zoller, analista da Ovum. "Os usuários brasileiros também são atraídos pelos aplicativos de m-commerce, especialmente os m-cupons, e as operadoras precisarão oferecer esse tipo de aplicativo juntamente com outros mais conhecidos", completa.

Por fim, o levantamento mostra que os principais fatores que estimulariam a adoção e a utilização generalizada de serviços financeiros móveis no Brasil são maior segurança (37%), taxas baixas (30%), custos de transação (33%) e facilidade de uso (30%).

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes