Menu

BDO planeja chegar a 23 filiais pelo Brasil em 2015

BDO planeja chegar a 23 filiais pelo Brasil em 2015

Três novos escritórios serão inaugurados neste ano

 

Faturamento da auditoria girou em torno de R$ 120 milhões.

A BDO, uma das Big 5 do setor de autoria do país, segue seu ritmo de crescimento contínuo. Em 2014, atingiu a marca de 20 filiais espalhadas por todas as regiões. Foram três novas unidades inauguradas em Manaus (AM) e Palmas (TO), na região Norte, e em Cuiabá (MT), no Centro-Oeste.

Para 2015, três novos escritórios devem integrar a empresa com a abertura de filiais no estado do Espírito Santo, na região do Nordeste e no interior paulista. “Nosso crescimento é bem estruturado. Fazemos investimentos importantes e sabemos que a consolidação efetiva de uma nova praça pode demorar até dois anos. Uma marca forte precisa de uma base forte e é exatamente isso que fazemos”, afirma Raul Corrêa da Silva, presidente da BDO no Brasil.

“Seguimos um ritmo crescente desde 2007, quando operávamos no Brasil com apenas dois escritórios, em São Paulo e Porto Alegre. Nos últimos anos, multiplicamos em dez vezes a quantidade de filiais e trabalhamos agora para que esse crescimento não fique estagnado”, completa o executivo. Segundo o presidente, a matriz na capital paulista representa hoje dois terços das operações da empresa, mas a previsão é de que nos próximos três anos esse percentual seja reduzido para 50%.

A auditoria fechou o ano de 2014 com mil funcionários e representando um crescimento de 30% em relação ao ano anterior. Seu faturamento girou em torno de R$ 120 milhões. Segundo o presidente, a empresa fez grandes investimentos na área de tax, que representa um total de 20% do faturamento da empresa. A liderança ainda fica com o setor de auditoria, com 60%. O outsourcing figura na terceira posição, com 10%.

Logo após a consolidação no quinto posto entre as auditorias, a BDO projeta estratégias para chegar a 50% do faturamento da quarta colocada até 2019. “Julgamos o planejamento agressivo, porém viável. Graças à expansão da nossa equipe e à força que encontramos no middle market brasileiro, seguimos em um ritmo ascendente que nos permite ser a maior rede do país. Apesar das incertezas da economia, o Brasil não parou e continua sendo uma potência. Precisamos estar preparados para atender as necessidades do mercado”, afirma o presidente.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes