Menu

Data center Itaú começa com alto padrão de sustentabilidade

Alexandre Barros, vice-presidente de Tecnologia, e Roberto Setúbal, presidente do Itaú Unibanco Alexandre Barros, vice-presidente de Tecnologia, e Roberto Setúbal, presidente do Itaú Unibanco

Projeto busca minimizar impacto ambiental e maximizar os benefícios à comunidade

 

Com praticamente 10 mil servidores,26 PB de dados e toda a estrutura de rede, refrigeração e outros serviços, o Centro Tecnológico do Mogi Mirim, inaugurado neste mês pelo Itaú Unibanco, conta com duas linhas de transmissão de 138 mil Volts e uma subestação de energia com capacidade de até 90 MW, suficiente para abastecer uma cidade com aproximadamente 140 mil habitantes. Embora o principal insumo industrial do data center seja energia elétrica, Alexandre Barros, vice-presidente de tecnologia do banco, explica que a atualização do parque, junto a melhores práticas, resultam em uma economia relevante. “Há uma redução de 43% de consumo elétrico em comparação ao CPD de São Paulo, que já é eficiente”, dimensiona.

Segundo Barros, o CTMM já foi construído em conformidade à certificação Leed Gold. Na área de eficiência elétrica, a refrigeração (processamento gera dissipação de calor, o que faz com que o resfriamento seja um foco de despesas) apresenta uma economia de 12%, com o uso da técnica de free cooling – quando a temperatura externa fica abaixo de 23°, o ar frio natural é direcionado ao interior do data center. Como resultado dessas medidas, Barros estima que se evite a emissão de 72 toneladas de CO2.

A emissão de poluentes é também atenuada pela disponibilidade das bicicletas laranjas, as mesmas oferecidas nos programas de mobilidade urbana, para deslocamento entre os prédios do CTMM.

O terreno do CTMM inclui uma nascente, com o devido plano de conservação. Há também uma estação de tratamento de esgoto. Para minimizar o impacto das chuvas e o risco de enchentes no entorno, foram construídos três tanques de retardo, semelhantes aos piscinões, para controle de escoamento.

Desenvolvimento regional e setorial – a instalação do Centro Tecnológico em Mogi Mirim já representa um incremento de R$ 524 mil mensais na receita do município, apenas com os encargos dos serviços. Embora o data center não seja um segmento de mão de obra intensiva (diferetne de desenvolvimento, por exemplo), o CTMM gera 400 empregos diretos. As obras, todavia, mobilizaram mais de 2 mil trabalhadores.

Gustava Stupp, prefeito de Mogi Mirim, destaca que a referência, assim como a maior atratividade às operadoras de telecomunicações, deve acelerar a modernização da gestão. “Vamos implantar redes de fibra, que servirão a projetos que tornam a prefeitura mais transparente”, afirmou, no evento de inauguração do CTMM. “Banco eletrônico é inspirador de modelos de governo eletrônico”, mencionou o governador Geraldo Alckmin.

Aldo Rebelo, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, destacou os desdobramentos da iniciativa do Itaú Unibanco. “Em TI, pensar uma ação de 35 anos é uma estratégia ousada”, disse. “Quando falamos em inovação no Brasil, mencionamos Embrapa, Petrobras, Vale e Embraer. Mas não podemos deixar de reconhecer a inovação no sistema financeiro, que é referência internacional”, enfatizou.

BAIXE A APRESENTAÇÃO DO CENTRO TECNOLÓGICO MOGI MIRIM DO ITAÚ UNIBANCO

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes