Tecnologia da Informação

Monitoração regulatória é mais eficaz com Big Data


Simulações integradas do sistema financeiro são suportadas

Por: Irineu Uehara em 17 de Dezembro de 2013

Do ponto de vista dos órgãos reguladores, a tecnologia Big Data abre novos horizontes para a execução das tarefas de fiscalização. A perspectiva é de que possam ser obtidos “insights” diferenciados a partir do cruzamento de informações de distintas instituições financeiras.

De acordo com Renato Fiorini, líder da prática de Risco do SAS Brasil, “será possível, inclusive, fazer simulações integradas de todo universo financeiro brasileiro, com granularidade e sofisticação inéditas para apoiar decisões econômicas ou monitorar o sistema bancário”. Além disso, ressalta ele, com a possibilidade de se armazenar, processar e transmitir volumes de informações mais densos, é esperada uma maior solicitação de dados por parte dos órgãos reguladores.

Outro ganho, sob a óptica da governança interna das organizações, vem do fato de que o correto tratamento das montanhas de dados poderá fornecer aos gestores subsídios que possam, mais eficazmente, mitigar os riscos operacionais, prevenindo eventos como fraudes e violação da confidencialidade/integridade dos “databases”.

O Big Data, lembra Fiorini, permitirá armazenar e processar informações não tradicionais como imagens, biometria, entre outras, além de propiciar a unificação de todos os dados da empresa em uma mesma plataforma. Esta vantagem proporcionará “o desenvolvimento de novos algoritmos para assegurar a identidade de usuários e clientes e, eventualmente, a detecção de fraudes internas através do reconhecimento de padrões de redes de conexões nos dados”, complementa ele.

    ENVIAR COMENTÁRIO

Você precisa estar logado para comentar a notícia. para logar ou cadastre-se aqui.
  • COMENTÁRIOS
  • (0)